Redação JM Notícia

Banco Central do Brasil | Foto: Reprodução

O governo central apresentou dados sobre o déficit primário do ano de 2019, fechado em 95,065 bilhões de reais, melhor dado desde 2014.

Os dados são do Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, que tiveram uma melhora na receita graças a ações extraordinária como leilões de petróleo e dividendos de estatais.

O valor, ainda que negativo, está baixo perto do alvo fixado em lei, de um déficit primário de 139 bilhões de reais.

Outro dado importante para os cofres públicos é que a receita líquida teve alta real de 5,6%, a 1,347 trilhão de reais, ao passo que a despesa subiu 2,7% na mesma base de comparação, a 1,442 trilhão de reais.

O ponto fraco do governo ainda é a Previdência, com o déficit subindo 5,3%, a 213,179 bilhões de reais em relação a 2018. Já o Tesouro e BC tiveram um superávit de 118,114 bilhões de reais, elevação de 51% sobre 2018.