Para o jornalista, a narração do filme é “miada” e “insuportável” e a leitura mais interessante do filme é a psicanalítica. Imagem: Renova Mídia

O jornalista e apresentador Pedro Bial comentou nesta segunda-feira (3) sobre o documentário Democracia em Vertigem, da diretora Petra Costa. Em entrevista à Rádio Gaúcha, Bial afirmou que o filme, indicado ao Oscar de Melhor Documentário, é uma “ficção alucinada”.

“Eu dei muita risada. É um ‘non sequitur’ (expressão em latim para “não se segue”) atrás do outro. Tira conclusão de que algo leva a outro sem a menor relação causal. O filme vai contando as coisas, me desculpem a expressão, num pé com bunda danado”, avaliou Pedro Bial.

+ Programa de Pedro Bial ataca missões cristãs nas aldeias brasileiras: “destruição”

Para o jornalista, a narração do filme é “miada” e “insuportável” e a leitura mais interessante do filme é a psicanalítica.

“É um filme de uma menina dizendo para mamãe dela que fez tudo direitinho, que ela está ali cumprindo as ordens e a inspiração de mamãe, somos da esquerda, somos bons, não fizemos nada, não temos que fazer autocrítica. Foram os maus do mercado, essa gente feia, homens brancos que nos machucaram e nos tiraram do poder, porque o PT sempre foi maravilhoso e Lula é incrível”, disse na entrevista à Rádio Gaúcha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here