Os parlamentares querem esclarecimentos sobre a grande quantidade de algas dispersas na água do Lago,

Representantes da empresa BRK Ambiental – concessionária de serviços de saneamento básico no Tocantins -, vão participar de audiência pública, nesta quinta-feira (20), a partir das 14h, no plenarinho da Assembleia Legislativa.

Os parlamentares querem esclarecimentos sobre a grande quantidade de algas dispersas na água do Lago, decorrente do derramamento de esgotos, sem o tratamento adequado, no Córrego Machado, que deságua no Lago de Palmas, reservatório da Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães (Usina Lajeado).

A convocação foi feita pela deputada Claudia Lelis (PV), presidente da Comissão de Minas e Energia, Meio Ambiente e Turismo, atendendo a requerimentos, em regime de urgência, de autoria dos parlamentares Léo Barbosa (SD), Ricardo Ayres (PSB) e dela mesma.

Segundo os parlamentares, baseados em notícias veiculadas pela imprensa, desde o início do ano manchas verdes têm aparecido no Lago, nas proximidades de uma estação de tratamento no setor União Sul, prejudicando as comunidades próximas ao Córrego Machado, Ribeirão Taquaruçu e o próprio Lago.

As principais causas da poluição do Lago, conforme as reportagens, estão relacionadas ao despejo de esgoto diretamente na água, vazamento de poluentes, fertilizantes, dejetos de animais domésticos e selvagens e atividades agrícolas.

VEJA TAMBÉM
Osires Damaso propõe criação de CPI para investigar a BRK Ambiental

Assim, os parlamentares querem que a empresa BRK esclareça quais medidas estão sendo adotadas para eliminar o problema e quais são os métodos utilizados pela concessionária no tratamento de água, especialmente na região Sul de Palmas. Eles alertam que a análise feita determinou que a água está imprópria para consumo e banho.

Segundo os deputados, além da fiscalização e acompanhamento que deve ser realizada pela Comissão de Meio Ambiente da Casa, é necessário o acompanhamento do inquérito instalado contra a empresa pela Delegacia do Meio Ambiente (Demag).  

Foram convocados para a audiência, a diretora-presidente a BRK, Teresa Cristina Quirino Veraglia, o diretor operacional no Tocantins, Rodrigo Lacerda, representantes de órgãos ambientais no Estado e lideranças comunitárias.