Deputado Federal Eli Borges (SD), pré-candidato a prefeito de Palmas

Por Giovanni Salera Júnior

Eli Dias Borges é um técnico em contabilidade, bancário, agropecuarista, pastor e político tocantinense. Foi um pioneiro em Palmas, onde desenvolveu bem-sucedida trajetória na vida pública. É o representante do segmento evangélico com carreira política mais extensa e consistente no Estado do Tocantins.

Eli Borges, como é mais conhecido, é realmente um político fora do comum. Ele foi o primeiro representante eleito com apoio das Igrejas Evangélicas de Palmas. Em 1993, iniciou sua trajetória como líder popular na Câmara de Vereadores, fortalecendo-se por mais dois mandatos até conquistar em 2002 uma vaga na Assembleia Legislativa, onde exerceu 4 mandatos, sendo reconhecido pelo seu zelo na defesa da família e dos valores cristãos. Em 2018, foi eleito Deputado Federal pelo Tocantins com mais de 48 mil votos!

A sua história pessoal assemelha-se ao crescimento em número e prestígio que os evangélicos conquistaram nas últimas décadas.

Mais detalhes de sua longa e rica biografia são apresentados logo a seguir.

Nasceu em 1º de setembro de 1960, em Ipameri, uma pequena cidade do sul de Goiás, filho de agropecuaristas João Dias Borges e Maria Dias Borges. É o primogênito e tem sete irmãos.

No começo dos anos 60, o estado de Goiás estava vivendo uma verdadeira revolução desenvolvimentista com o surgimento da nova capital federal e, em especial, devido a construção da Rodovia Belém-Brasília (BR 153), que proporcionou intenso tráfego de veículos e intercâmbio comercial e cultural com outras regiões do país. Ao longo do traçado dessa estrada surgiram inúmeros núcleos populacionais que rapidamente adquiriram características de centros urbanos. As cidades goianas servidas pela rodovia, como é o caso de Porangatu, reurbanizaram-se e passaram a contar com as modernas invenções do mundo capitalista, como energia elétrica, telefone, telégrafo e outras que contribuíram na expansão dos aspectos da vida social, política e cultural do Estado.

Atraídos por aquele intenso desenvolvimento, a família de Eli Borges mudou-se para Porangatu, situada no norte de Goiás, aproximadamente 600 km de distância de Ipameri. Ele tinha cerca de 5 anos. Ali, algum tempo depois, nasceu seu irmão caçula, Joel Borges, em 18/04/1968.

A família de Eli Borges vivenciou aquela fase áurea de progresso de Porangatu nas décadas de 1960 a 1970.

Aos 15 anos, ele começou a trabalhar como auxiliar na concessionária da Volkswagen em Porangatu (GO). Era um emprego simples, mas que serviu bastante para reforçar em seu caráter valores como humildade e dedicação.

Posteriormente ingressou na Companhia Telefônica do Estado de Goiás (Telegoiás).

Ao concluir o curso médio em contabilidade, passou a ser funcionário do Banco do Brasil.

Nessa época, Eli Borges casou-se com Maria Ulisses Pedroza Borges na Igreja Assembleia de Deus de Porangatu. Dessa união tiveram três filhos: Thiago, Paulo Henrique e Lucas.

Os anos 80 foram marcados pela abertura política, com o fim do Regime Militar. Foram tempos de grandes mudanças sociais e econômicas. A população tomou as ruas pedindo o retorno completo das liberdades individuais e coletivas.

Nesse período, intensificaram-se os movimentos pela emancipação do antigo Norte de Goiás, pois seus moradores desejavam maior presença do poder público. Havia uma queixa constante de que a enorme distância de Goiânia deixava os municípios abandonados pelas autoridades.

Assim, vários políticos e empresários uniram-se sob a liderança do Deputado Federal José Wilson Siqueira Campos pela luta emancipatória do Norte de Goiás.

Com a promulgação da Constituição Federal em 05 de outubro de 1988, foi criado o Estado do Tocantins, a ser implantado a partir de 1º janeiro de 1989.

Eli Borges e sua família vivenciaram aquele clima de debates, euforia e agitação que tomou conta da sociedade goiana.

Logo que o estado do Tocantins foi criado um grande número de migrantes veio em busca de oportunidades. A cidade de Miracema tornou-se a capital provisória até que as obras em Palmas dessem as condições mínimas para instalação dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Eli Borges chegou em Palmas em 1990, onde estabeleceu-se definitivamente e construiu extensa carreira pública. Ele fez parte da primeira leva de funcionários da agência do Banco do Brasil na nova capital.

Palmas era bastante carente, de praticamente tudo. A cidade era um verdadeiro canteiro de obras, com máquinas trabalhando na abertura de ruas e avenidas. A poeira, o calor e a falta de infraestrutura eram enormes desafios cotidianos. A população crescia rapidamente com caravanas diárias de migrantes chegando em busca de emprego e oportunidades. Não havia indústrias, nem fábricas; as lojas e demais estabelecimentos comerciais não tinham estoque suficiente para atender a demanda em constante crescimento. Os itens básicos vinham de outros estados e chegavam em geral com preços elevados. Aqueles foram tempos difíceis que os pioneiros tiveram que enfrentar com persistência e muita fé em Deus.

Como bancário ele estabeleceu uma ampla rede de relacionamentos (empresários, comerciantes, servidores públicos, trabalhadores terceirizados etc.). Eli Borges, além da disciplina e organização, sempre foi reconhecido por sua educação e cordialidade – essas suas qualidades – especialmente naquele começo rude e penoso de Palmas – foram essenciais para fortalecer sua imagem e torná-lo querido e respeitado em seu ambiente de trabalho e nos demais locais por onde passava.

Eli Borges e sua esposa Maria Ulisses Pedroza Borges foram membros-fundadores da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Palmas.

No dia 03 de julho de 1990 (terça-feira), aconteceu um culto de inauguração da Igreja Evangélica Assembleia de Deus (IEAD) do Ministério de Madureira em Palmas. A cerimônia realizada às 20:00 horas foi presidida pelo Pastor Amarildo Martins da Silva e contou com a presença de vários líderes religiosos e autoridades políticas. Eli Borges nessa época era evangelista e foi privilegiado por fazer parte do nascimento da Assembleia de Deus, que logo tornou-se a maior denominação evangélica do Tocantins, presente em seus 139 municípios!

VEJA TAMBÉM
Congresso "Tenha Coragem" reunirá milhares de testemunhas de Jeová em Palmas

Sempre esteve atuante ao lado dos líderes da denominação, inclusive apoiando as ações sociais e de evangelização que eram desenvolvidas na capital e entorno.

Em 1992, em razão de seu bom nome perante a sociedade palmense e ao seu compromisso com a igreja, Eli Borges foi convidado para concorrer a uma vaga na Câmara de Vereadores. Ele aceitou o desafio, vestiu a camisa e percorreu as ruas empoeiradas de Palmas em busca de apoio. Foi uma campanha acirrada, com muitos candidatos, mas Deus honrou seu esforço e empenho, de modo que ele conquistou uma das 09 vagas.

Dessa forma, Eli Borges fez parte da história da 2ª Legislatura da Câmara de Vereadores de Palmas, de 1993-1996. O primeiro evangélico eleito para esse cargo.

Em 1º de janeiro de 1993, participaram da sessão solene de posse o Prefeito Municipal de Palmas, Eduardo Siqueira Campos, a vice-prefeita Mariza Sales Coelho, e os vereadores eleitos. O senhor Tibúrcio Tolentino, na qualidade de vereador mais votado, assumiu a presidência da mesa, declarando empossados os 09 (nove) vereadores: Afonso Vieira Ramalho, Alberane de Jesus Barba Sobrinho, Antônio de Almeida Bonifácio, Ariomírio Lino da Costa, Carlos Henrique Amorim (“Gaguim”), Eli Dias Borges, Maria de Jesus Mendes de Souza (“Maria da Balsa”), Rogério Alves da Silva e Tibúrcio Márcio Pimentel Tolentino. Ele compôs a Vice-presidência da Mesa Diretora, de 1993 a 1994

Eli Borges tinha um gabinete aberto para todos. Seu irmão Joel Borges veio para auxiliá-lo; chefiou o gabinete e contribuiu bastante no atendimento da população.

Logo deixou o Banco do Brasil para dedicar-se integralmente a vereança.

Em 1994, Eli Borges teve papel decisivo no apoio ao Pastor Amarildo Martins da Silva na fundação de duas entidades assistencialistas: Associação Beneficente da Assembleia de Deus (ABEADEP) e Associação Beneficente Evangélica Assembleia de Deus (ABEADETINS). Essas duas instituições desenvolveram durante vários anos ações e projetos de amparo das famílias carentes de Palmas e diversos municípios tocantinenses.

À medida que o tempo passava ele adquiria mais experiência e se tornava amplamente conhecido. Em 1996, foi reeleito para a 3ª Legislatura (1997/2000) da Câmara de Vereadores de Palmas.

Em 1º de janeiro de 1997, tomaram posse o Prefeito Municipal de Palmas, Odir Rocha, o vice-prefeito Adagsmar Araújo Martins, e os seguintes 11 (onze) vereadores: Pastor Amarildo Martins da Silva, Carlos Henrique Amorim (“Gaguim”), Cirlene Azevedo Honorato Pugliesi Tavares, Eli Dias Borges, Ivory de Lira Aguiar Cunha, Juarez Batista Giovanetti, Maria de Jesus Mendes de Souza (“Maria da Balsa”), Mariza Sales Coelho, Tibúrcio Márcio Pimentel Tolentino, Wanderlei Barbosa Castro e Zilneide Nogueira Avelino.

Em 1998, o vereador Eli Borges colaborou intensamente para eleição do pastor Amarildo Martins, que conquistou uma vaga como Deputado Federal, desbancando diversos concorrentes endinheirados e com maior tradição na política tocantinense.

Nas eleições municipais de 2000, Eli Borges foi reeleito para seu terceiro mandato, fazendo parte da 4ª Legislatura (2001/2004) da Câmara de Vereadores de Palmas.

Em 1º de janeiro de 2001, tomaram posse a Prefeita Municipal de Palmas, Nilmar Ruiz, o vice-prefeito Raimundo Boi, e os seguintes 15 (quinze) vereadores: Carlos Eduardo Torres Gomes, Célio Carmo de Souza, Edna Oliveira Agnolin, Eli Dias Borges, Francisco Mendes Braga, Ivory de Lira Aguiar Cunha, Joaquim Rocha Pereira, José Alberto Almeida Guimarães, Jucelino Rodrigues de Jesus, Maria de Jesus Mendes de Souza (“Maria da Balsa”), Mariza Sales Coelho, Raimundo Coimbra Junior, Sadi Cassol, Wanderlei Barbosa Castro e Warner Macedo Camargo Pires.

Além de seu trabalho na Casa de Leis, o vereador Eli Borges sempre esteve presente em locais diversos, fazendo preleções e palestras em igrejas, escolas, faculdades e comunidades em geral.

Saiba + Deputado Eli Borges, a bola da vez em Palmas

Saiba + Líderes evangélicos repudiam Porta dos Fundos por zombarem da fé cristã

Em 2002, após três mandatos consecutivos como vereador da capital, Eli Borges conquistou pela primeira vez uma vaga no Parlamento Tocantinense, com 8.301 votos.

Em 2006, foi reeleito para seu segundo mandato como Deputado Estadual, com 11.911 votos, sendo a maioria deles nas regiões central e sudeste do Tocantins, em municípios como Palmas, Gurupi, Guaraí, Colméia e Porto Nacional.

Em 2010, foi reeleito para o seu terceiro mandato consecutivo para Deputado Estadual, com 15.685 votos. Em 1° de fevereiro de 2011, ele exerceu o cargo de vice-presidente da Assembleia Legislativa, sendo escolhido na cerimônia de posse do Governador Siqueira Campos para discursar em nome dos Deputados.

Em 2014, foi reeleito para seu quarto mandato, com 13.117 votos. Eli Borges foi o Deputado que obteve mais votos dentro de Palmas.

Na Assembleia Legislativa de Tocantins, teve destaque ao presidir a Comissão de Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Transportes e Desenvolvimento Urbano e Serviço Público.

O parlamentar atuou em várias áreas. Eli Borges é um ferrenho defensor dos valores cristãos. Ele tem se posicionado contra a degradação da família tradicional que tem sido metodicamente atacada pelos movimentos de esquerda.

VEJA TAMBÉM
Palmas 30 anos: Primeiro prefeito acredita que Palmas será uma das maiores e melhores cidades do Brasil

O apoio ao setor do ecoturismo, energias sustentáveis e renováveis também faz parte de sua atuação do parlamentar.

Eli Borges Desenvolve diversas ações e projetos para atender seu eleitorado. O “Programa Meu emprego, meu sonho” já encaminhou mais de 2.000 pessoas para o mercado de trabalho, após cursos a custo zero para a sociedade. O “Programa Social Resgate” já teve várias edições e consiste em levar o gabinete para as ruas e atender os menos favorecidos. O “Projeto Interagindo” tem por objetivo ir às ruas todas as semanas e ouvir a sociedade, trazendo suas demandas para o gabinete, transformando-as em requerimentos, projetos de lei ou para servir de embasamento para o debate.

Ele é considerado o Deputado campeão de emendas para o combate às drogas e recuperação de dependentes químicos.

Ao longo de sua carreira já recebeu diversas homenagens e premiações.

Foi reconhecido pela revista Istoé como um dos 10 mais atuantes políticos do estado do Tocantins e o único parlamentar estadual homenageado pelo Tribunal de Contas do Tocantins.

Foi homenageado pelos produtores de soja pela defesa do agronegócio e reconhecido pela independência ética e denúncia no trato de coisas públicas.

Foi eleito como 15º parlamentar em transparência pela ONG Revolução Brasileira.

Em 2017, ele recebeu dois Títulos de Cidadão, do município de Colmeia e de Gurupi.

Honesto, correto, de fino trato, íntegro, ficha limpa, respeitoso, homem de fé, aberto ao diálogo e que defende a família tradicional – são alguns dos diversos adjetivos associados a sua pessoa.

Em outubro de 2017, o Deputado Estadual Eli Borges foi nomeado como um dos 11 (onze) membros do Conselho Estadual de Educação do Estado do Tocantins (CEE/TO), sendo um dos dois representantes do Poder Legislativo que fazem parte do grupo. Nessa função, o parlamentar tem fiscalizado conteúdos didáticos e temas aplicados nas escolas estaduais do Tocantins.

No começo de 2018, após 7 (sete) mandatos (sendo três como Vereador em Palmas e quatro na Assembleia Legislativa), Eli Borges decide alçar um voo maior, em busca de uma vaga na Câmara dos Deputados. Ele colocou a ideia perante o público tocantinense, o que teve ótima aceitação. Assim, ele entrou nessa nova etapa percorrendo os 139 municípios tocantinenses apresentando seu histórico de realizações e as novas propostas.

Em outubro de 2018, Eli Borges foi eleito Deputado Federal pelo Tocantins, com 48.812 votos, dando sequência ao seu oitavo mandato consecutivo como parlamentar.

Saiba + Eli Borges é o mais votado em Palmas com 16.554 votos e o quinto em Araguaína

Em 2019, ele tem levado sua experiência e seriedade para somar com os que têm a mesma visão no Congresso Nacional.

Chegou em Brasília com a missão de ser um representante do povo tocantinense em todas as questões ligadas ao segmento religioso (defesa da família, luta contra o aborto, contra a ideologia de gênero etc.), mas também tem prometido atuar em outras pautas que são de interesse amplo, como por exemplo, o combate a burocracia estatal e a alta carga tributária.

Ao longo desses 30 anos, ele vivenciou todas fases de desenvolvimento do mais novo estado brasileiro – o Tocantins, além das polêmicas, crises econômicas e desavenças envolvendo os principais grupos políticos, mas, como poucos, Eli Borges manteve seu bom nome e prestígio.

Quantos políticos têm 30 anos de serviços prestados e mantem seus nomes limpos e isentos de acusação? Felizmente, o povo tocantinense tem na pessoa de Eli Borges a esperança de que é possível chegar ao poder sem se deixar corromper.

É bem verdade que no decorrer desse período muitos evangélicos ocuparam cargos e deram contribuições relevantes ao progresso do Tocantins, no entanto nenhum com a dimensão e consistência que o nobre Eli Borges conquistou! Ele é realmente um representante que honra os ensinamentos e princípios da Bíblia e é motivo de orgulho para todos aqueles que professam a fé em Deus

Nos últimos anos, a classe política tocantinense vivencia momentos de baixa popularidade; ao contrário de Eli Borges, que tem conseguido manter-se isento, com uma imagem incólume e de respeito perante a opinião pública. Esse feito é algo impressionante, que inclusive tem chamado atenção nas recentes sondagens e pesquisas realizadas pelos grupos políticos locais, que identificaram que Eli Borges é um nome forte, com ótima aceitação perante o eleitorado da capital, sendo um dos políticos mais bem cotados para concorrer à Prefeitura de Palmas nas eleições de 2020.

Esse é um desejo antigo que Eli Borges carrega em seu coração, de poder conduzir os rumos da mais nova capital brasileira – Palmas. Agora, mais do que nunca, esse sonho se mostra bem tangível, pois ele tem muita experiência acumulada, além de contar com apoiadores e simpatizantes que extrapolam aquele eleitorado inicial que lhe conduziu ao poder público no começo dos anos 90. Hoje, Eli Borges é um político conceituado, com ótimo trâmite em diversos segmentos sociais, empresariado, agronegócio, educação, servidores públicos, movimentos sociais etc.

Se a realização desse sonho de tornar-se Prefeito de Palmas dependesse unicamente de sua bela biografia e de sua bagagem acumulada em anos de trabalho sério e honrado, certamente que ao abrir as urnas o resultado final seria muito feliz!

O tempo brevemente nos revelará mais um capítulo da exitosa caminhada de vida pública de Eli Borges! Que Deus abençoe sua jornada como representante do povo do Tocantins!

Por Giovanni Salera Júnior