“Eles mataram meu sogro e sequestraram algumas das crianças que moravam conosco”

Na Nigéria, a maior comunidade cristã do continente, eles tentam encontrar comida suficiente para sobreviver dia após dia.

Em visita a um campo de refugiados para pessoas que foram deslocadas internamente de suas aldeias no norte e oeste, um jornalista compilou os testemunhos mais chocantes de agressões contra os cristãos.  

Existem cerca de 2,5 milhões de pessoas deslocadas internamente na Nigéria, o que faz desta uma das maiores crises humanitárias do mundo atualmente. E o que todas essas pessoas têm em comum é que são cristãos.

Aisha Walla, 29 anos, cresceu no norte da Nigéria com sua família, vivendo uma vida pobre junto com o resto dos habitantes de sua pequena cidade. Ela é cristã de um dos maiores grupos étnicos da África Ocidental. A vida era difícil para essa jovem mãe de dois filhos e estava prestes a se tornar muito mais difícil.

Boko Haram invade a cidade

“Em novembro de 2013, o Boko Haram invadiu nossa vila”, disse ele. “Eles mataram meu sogro e sequestraram algumas das crianças que moravam conosco. Estávamos com tanto medo que fugimos para as montanhas”.

VEJA TAMBÉM
Boko Haram queima crianças vivas na Nigéria

O Boko Haram existe há muito tempo, eles mataram milhares de pessoas em todo o país da Nigéria e em outros lugares, a ponto de, em 2015, terem sido designados como um dos grupos terroristas mais perigosos do planeta.

Muito desse terror é direcionado aos cristãos. Enoch Yeohanna era vizinho de Aisha.

Queimando igrejas, matando membros

“Eles começaram a queimar igrejas, matando pastores e matando membros”, disse ele. 

“29 de setembro de 2014 foi o dia em que atacaram minha cidade. Por volta das dez, recebi uma ligação dizendo que meu pai foi morto. Eles pediram que ele negasse a Cristo e, quando ele recusou, cortaram sua mão direita. Então ele recusou [de novo], eles cortaram no cotovelo. Na qual ele recusou, antes de levar um tiro na testa, pescoço e peito “, continuou Yeohanna.

Muitos dos 1.500 cristãos que vivem neste campo têm histórias semelhantes. 

O exército nigeriano lançou grandes ofensivas contra o Boko Haram nos últimos meses e, mesmo com grandes perdas de ambos os lados, parece não haver um fim à vista. Apesar das dificuldades, esses cristãos deslocados acreditam firmemente no poder da oração.

VEJA TAMBÉM
Terroristas matam 9 fieis que voltavam da igreja após ataque a vilarejo na Nigéria

“Se houver paz, não há nada que nos impeça de ir para lá”, disse Enoch Yeohanna.

“Minha fé ajudou minha vida de oração e acredito que as orações dos santos em todo o mundo nos ajudaram a superar esses tempos difíceis”, disse Aisha Walla. “Minha esperança é que Deus traga todos os deslocados para suas casas, para que possamos adorar a Deus juntos e viver em paz.”