Coronavirus blood test concept. Doctor hands in medical gloves holding test tube with blood for Coronavirus analysis over laboratory desk. 2019-nCoV Coronavirus originating in Wuhan, China

A Prefeitura de Palmas confirmou na madrugada deste sábado (21) o segundo caso de paciente contaminado pelo novo coronavírus (Covid-19) na capital.

Em nota, a prefeitura informou que o caso já havia sido notificado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e a paciente estava em observação domiciliar.

NOTA OFICIAL

A Prefeitura Municipal de Palmas vem a público informar a ocorrência do segundo caso de contaminação pelo coronavírus na Capital. A confirmação se deu nessa sexta-feira, 20, por volta das 22 horas, por um laboratório privado instalado no Município. O caso já havia sido notificado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e a paciente estava em observação domiciliar. A paciente teve uma piora no seu quadro de saúde, foi internada em leito de UTI de hospital privado, mas teve alta na sexta-feira.

Todas as pessoas que tiveram contato mais próximo com esta paciente estão sendo monitorados e os dados repassados ao Ministério da Saúde que, posteriormente, informa à instância estadual, como é o protocolo.

A Prefeitura reitera a recomendação para que a população permaneça em casa, em isolamento social, a fim de evitar a propagação do coronavírus e reafirma que está dedicando todos os seus esforços para manter sob controle a propagação dessa em nossa cidade. A nossa prioridade máxima é salvar vidas e, para isso, contamos com o apoio de todos.

Palmas, 21 de março de 2020

Reforço por isolamento

VEJA TAMBÉM
Júnior Geo comenta oitiva da CPI do PreviPalmas: "Amastha tenta ludibriar a opinião pública"

A Prefeitura de Palmas emitiu Nota Explicativa no final do dia desta sexta-feira, 20, reiterando a necessidade do isolamento social, como medida para evitar a propagação do coronavírus (Covid-19), conforme estabelecido no Decreto 1.859/20, notadamente no que diz respeito ao Artigo 12, que trata da suspensão das atividades de comércio e aglomeração de pessoas.

Dentre as medidas está a que veda a permanência para consumo local em padarias, conveniências, distribuidora de bebidas, lanchonetes e outros serviços de alimentação e bebidas.

Também ficam proibida as procissões fúnebres. Em caso de morte pela Covid-19, os velórios e enterro só serão autorizados para parentes de primeiro grau e autoridades religiosas. O caixão deve permanecer fechado, sem aglomeração de pessoas e em locais com prévia autorização sanitária. Para os demais tipos de velório segue a recomendação do espaçamento mínimo de dois metros entre as pessoas.

A Prefeitura também disponibilizou à população, para conhecimento, o link de acesso à cartilha elaborada pela Associação Brasileira de Supermercado (Abras), que trata da higienização e aglomerações nesses estabelecimentos. 

Lei abaixo a íntegra da Nota Explicativa

Tendo em vista a necessidade de isolamento social, estabelecida pela alteração do Decreto 1.859/20 e considerando o disposto no Art. 12, entende-se que:

1.         Todas as atividades que se relacionam com o lazer ficam suspensas;

VEJA TAMBÉM
Márlon Reis defende um Governo parceiro do empresário, durante debate na Acipa

2.         Ficam suspensas as atividades nos estabelecimentos que se enquadram no caput do referido artigo. Para os demais estabelecimentos, a suspensão de que trata o caput deverá ser observada para aquelas atividades sujeitas à aglomeração de pessoas;

3.         Para fins desse Decreto, entende-se por aglomeração a concentração de pessoas em um mesmo espaço físico, sem que haja entre elas um espaçamento mínimo de 2m (dois metros);

4.         Em estabelecimentos comerciais como panificadoras/padarias, conveniências, distribuidoras de bebidas, lanchonetes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas, exceto aqueles tratados no caput do Art. 12, fica suspensa a permanência para consumo no local;

5.         Entende-se por pólo comercial de rua os camelódromos;

6.         Ficam proibidas as procissões fúnebres públicas;

7.         Em caso de morte de pessoas confirmadas por Covid-19, os velórios, enterros e atos ecumênicos de corpo presente só serão autorizados para parentes de primeiro grau e autoridades religiosas, com o caixão fechado, sem aglomeração de pessoas e em locais com prévia autorização sanitária. Para os demais casos de velórios, segue recomendação de espaçamento físico mínimo de 2 metros entre as pessoas e o reforço da prática da higienização das mãos;

8.         Do que tratam as aglomerações e higienização dos supermercados e congêneres, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) publicou uma cartilha com as orientações.