O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defendeu nesta quarta-feira (25) o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro, que fez um pronunciamento criticando medidas de isolamento social adotadas no Brasil contra o novo coronavírus (Covid-19).

Mandetta disse que a quarentena foi pensada de forma “precipitada e desarrumada” e defendeu um melhor diálogo entre o Ministério da Saúde e governadores. 

+ Em decreto, Bolsonaro autoriza funcionamento das igrejas e entidades religiosas: “atividade essencial”

“A saúde não é uma ilha, não vamos tratar isoladamente, não existe só coronavírus. Eu tenho recebido médico que está fechando consultório de pediatria, clínicas de ultrassonografia. A vida continua. Outras doenças acontecem, as pessoas têm necessidades”, afirmou o ministro.

Na ocasião, o ministro também defendeu a reabertura das igrejas, pedindo apenas que os fiéis não se aglomerem. “Oração é bom. Me perguntaram outro dia se as igrejas devem estar abertas ou fechadas. Que fiquem abertas, só não se aglomerem. Mas rezem, orem”, pediu. 

“Fé é um elemento de melhora da alma, do espírito. Pastores, padres, preguem pela televisão, preguem pela internet, as pessoas precisam. Façam suporte telefônico”, acrescentou.

(Com Guiame)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here