O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que a partir de terça-feira o governo vai disponibilizar um aplicativo em conjunto com a Caixa Econômica Federal para que o cidadão possa se cadastrar para receber o auxílio emergencial de R$ 600.

Onyx afirmou ainda que o objetivo da plataforma é permitir que em até 48 horas os pedidos sejam processados. “Não haverá nenhuma taxa e nenhum ônus e vai permitir que pela web, ou através do celular, as pessoas possam fazer cadastramento para permitir que em 48 horas, aqueles que cumprirem todos os requisitos, terão o recurso creditado pela Caixa, pelo Banco do Brasil e pela rede bancária privada”, afirmou o ministro da Cidadania.

O ministro explicou ainda que esse aplicativo visa coletar dados de pessoas que não estão no cadastro único, contribuintes individuais e o microempreendedor individual. “Se o cidadão já está no cadastro único, se ele fizer um registro o aplicativo vai confirmar que ele já está na base de dados”, disse.

Onyx afirmou que o governo quer tranquilizar os trabalhadores e que há empenho para que o pagamento chegue o quanto antes nas mãos dos brasileiros.

VEJA TAMBÉM
Pente-fino: TCU manda governo publicar nomes de todos os que recebem auxílio emergencial

Para os elegíveis, que já estão no cadastro único, estamos correndo para muito provavelmente na terça ou na quarta a Caixa anunciar um cronograma de pagamentos”, disse, ressaltando que os beficiários do bolsa família receberão no dia 16 de abril o recurso.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse que a instituição está finalizando questões operacionais. “Iremos trabalhar no fim e semana. Na segunda vamos divulgar detalhes do aplicativo, do site, da central de atendimento telefônico”, diz.

Guimarães destacou ainda que a Caixa não quer nenhum tipo de protagonismo e vai contar com outros bancos. “Segunda-feira será anunciado o calendário e detalhes operacionais”, disse. Segundo Guimarães, a tecnologia desenvolvida para o aplicativo permitirá que ele seja utilizado por 100 milhões de pessoas.

Com UOL