Pastor Samuel Câmara, líder da Igreja Mãe no Estado do Pará

o Governo do Estado do Pará, informou nesta segunda-feira, 6, que as celebrações de cultos religiosos de forma presencial estão proibidas no Estado pelos próximos 15 dias.

De acordo com o Governador Helder Barbalho, o fechamento das igrejas é “Para garantir a diminuição do fluxo de pessoas nas ruas e a diminuição da concentração de pessoas”, disse Barbalho que reafirmou que esse é o momento é de ampliar as ações de contenção à doença.

O Governador que afirmou que seria amigos dos cristãos, afirmou que as celebrações devem ser realizadas de forma online, por meio das redes sociais.

“Portanto, cultos e eventos religiosos devem ser feitos por meio de ferramentas digitais que possam permitir que a população possa continuar tendo acesso às manifestações e cultos religiosos mas por meio digital”, explicou o governador.

O decreto possibilita ainda que as igrejas fiquem de portas abertas, porém sem público.

PROIBIÇÕES

“Portanto, cultos e eventos religiosos devem ser feitos por meio de ferramentas digitais que possam permitir que a população possa continuar tendo acesso às manifestações e cultos religiosos mas por meio digital”, explicou o governador.

VEJA TAMBÉM
Escola estadual em Aguiarnópolis suspende merenda de crianças por falta de verbas

O decreto possibilita ainda que as igrejas fiquem de portas abertas, porém sem público.

As medidas estão:

  • proibição da saída intermunicipal de transporte rodoviário e hidroviárioa, limitando o transporte à região metropolitana de Belém, Ananindeua, Benevides e Marituba. A entrada para o distrito de Mosqueiro também está proibida.
  • praias, igarapés, balneários, clubes e similares deverão fechar.
  • eventos com mais de 10 pessoas, incluindo cultos religiosos, também estão proibidos.

A determinação iniciou nesta terça (7), com prazo indeterminado. Segundo o governador, o transporte intermunicipal entre outras cidades será limitado, “excepcionalmente no período da Semana Santa”.