O julgamento que analisa a constitucionalidade do inquérito das fake news foi interrompido nesta 4ª feira (17.jun.2020) com o placar de 8 a 0. A maioria para manter a investigação foi atingida depois do 6º voto, dado pela ministra Cármen Lúcia.

+Sérgio Moro apoia inquérito ilegal do STF

O debate começou em 10 de junho. Na ocasião, votou apenas o relator do pedido para que o inquérito fosse derrubado. Em longo voto, Edson Fachin validou a possibilidade de a Suprema Corte abrir investigações por iniciativa própria, obedecendo ao regimento interno. A Rede, autora da ação contra o inquérito, até tentou voltar atrás e desistir da reclamação. Fachin negou. A lei proíbe a desistência de uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade).

Veja a reação de parte de nomes do segmento conservador no Brasil:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here