Manter a resiliência dos sistemas de saúde foi um dos focos da Semus que reorganizou, contratou e capacitou profissionais

Palmas chega ao 100º Boletim Epidemiológico de monitoramento do novo coronavírus (Covid-19) neste sábado, 27, e a Secretaria Municipal da Saúde (Semus) traz uma série histórica com dados do acompanhamento da evolução da pandemia na Capital. Durante este tempo, diversas ações de resposta foram implantadas para reforçar a resiliência dos sistemas de saúde e reduzir o impacto da doença sobre a população.

No 100º Boletim Epidemiológico, Palmas chegou a 1.665 casos confirmados da doença, após registrar 106 casos novos; 1.307 não possuem nenhuma comorbidade ou risco para agravamento da doença. O maior número é de recuperados, são 941 pacientes residentes de Palmas que não convivem mais com a doença, número que corresponde a 58,9% do total de pessoas que estão em tratamento.

Palmas segue com o coeficiente de incidência de casos por 100 mil habitantes abaixo da média nacional e estadual. Enquanto a Capital tem 557 casos para cada 100 mil habitantes, o Brasil tem 575 e o Tocantins possui 636 casos, na mesma proporção. A taxa de letalidade do município também é inferior à média nacional e estadual. A Capital possui 1% de taxa de letalidade, enquanto o Estado possui 1,9% e o País 4,4%.

Momentos de dor também marcam a luta contra à doença na rede municipal. A primeira morte por Covid-19 em Palmas e no Tocantins representou dupla perda. Francisca Romana Sousa Chaves, de 47 anos, assistente social e servidora da Semus, morreu no dia 14 de abril em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Capital após lutar contra a enfermidade por cerca de um mês. Ela era hipertensa e foi o segundo caso da doença registrado no Tocantins. Atualmente Palmas contabiliza 17 mortes.   

Ações

A Semus elaborou quatro Planos de Contingência por meio da Vigilância em Saúde e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) para estruturar o atendimento diante da emergência em saúde pública. O Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE Palmas Covid-19) foi ativado em março deste ano e passou a monitorar a pandemia, com discussões sobre a oferta do atendimento, ações e compartilhamento de dados epidemiológicos.

Toda a rede municipal de saúde passou por reestruturação e rearranjos institucionais. Unidades de Saúde da Família (USFs) tiveram o horário ampliado para atender pacientes com síndromes gripais, alguns serviços eletivos foram reduzidos ou até suspensos temporariamente e parte da demanda espontânea passou a ser marcada por telefone. As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) passaram a atender somente pacientes classificados como vermelho, laranja, amarelo e verde (que se enquadrem com urgência e emergência).

Áreas exclusivas

Após a estruturação do Plano de Contingência, a Semus preparou unidades de saúde ededicou áreas exclusivas para tratar Covid-19. Caso das três unidades sentinelas implantadas em maio na Unidade de Saúde da Família (USF) da Arse 131 (1304 Sul), na USF José Hermes e na USF da Arne 53 (406 Norte), para coletar sangue, secreção oral e nasal em até 120 pacientes para a detecção da doença. As UPAs também possuem alas próprias para atender pacientes moderados e graves com a doença.

Testes

Desde o início da pandemia, a Semus adquiriu 27.680 testes de Covid-19, sendo 2.680 testes rápidos recebidos do Ministério da Saúde, 10 mil testes por sorologia (quimioluminescência) adquiridos pela própria pasta e 15 mil, também porsorologia, recebidos por meio de convênio com o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO). Durante todo o período de combate à pandemia, 10.103 pessoas foram testadas na última rotina de testes, sendo que 8.942 foram testados somente na rede pública e 1.161 na rede privada.

Atendimento psicológico

Para auxiliar a população diante da situação atípica e oferecer um espaço para acolhida e orientação, profissionais residentes da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp) fazem atendimento psicológico online e por telefone. Trata-se de um atendimento eletivo onde as pessoas podem ser atendidas com psicólogos e psiquiatras tanto por meio de formulário online quanto pelos telefones: 3218-5459 e 3218-5460. Até este sábado, 27, 984 pessoas foram atendidas.

Informação

Para acompanhar e informar a população sobre o novo coronavírus, a Semus instituiu uma série de ferramentas de comunicação. Dentre elas, o serviço de call center Disque Zap Coronavírus pelos números 3218-5643 e 3218-5458, no qual o usuário pode tirar dúvidas, ter orientações sobre a doença e direcionamento à setores responsáveis para realizar denúncias, solicitar consultas, exames, cirurgias eletivas e tantos outros assuntos todos os dias, das 8 às 19 horas. Até o último dia 23, a ferramenta recebeu 2.196 ligações e 979 mensagens.

Os dados da doença na Capital têm sido divulgados todos os dias no Boletim Epidemiológico. A Semus também elaborou um site de informações das ações em saúde no combate ao novo coronavírus, que pode ser acessado no link coronavirus.palmas.to.gov.br.  No site consta o painel de casos confirmados da doença, boletins diários, contatos das unidades de saúde e o ‘Coronômetro’, ferramenta para acompanhar a evolução do cenário epidemiológico e capacidade instalada para o enfrentamento da Covid-19. 

Profissionais de saúde

A rede municipal já estruturada possuía mais de 2.400 profissionais efetivos, contratados e residentes entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, farmacêuticos, dentistas, entre outros. A Semus ampliou a força de trabalho durante a pandemia e contratou mais 38 profissionais de saúde exclusivamente para reforçar o combate à Covid-19, sendo nove médicos, dez enfermeiros e 19 técnicos em enfermagem. Cerca de 700 servidores contratados e os já atuantes passaram por uma série de capacitações da Fesp que envolvem desde o atendimento ao paciente, o uso correto de equipamentos de proteçã oindividual (EPIs) até melhores práticas de higienização, desinfecção dos ambientes e diversos outros assuntos ligados ao combate do novo coronavírus.

Pesquisa

A Fesp, em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT), realizou uma pesquisa com cerca de 1.700 residentes da Capital. A pesquisa da Fesp/UFT visa conhecer a proporção da população de Palmas que esteve ou está infectada pelo novo coronavírus, especialmente os casos assintomáticos ou sintomáticos leve, identificar os locais onde há maior avanço do novo coronavírus, além de avaliar o comportamento da população em relação às medidas de prevenção. O resultado deverá ser publicado em breve.

Vigilância Sanitária

A Vigilância Sanitária Municipal de Palmas (Visa) tem acompanhado o cumprimento de protocolos de segurança durante a pandemia e as etapas de reabertura gradual do comércio. De março a junho deste ano, a Visa Municipal realizou 1.758 ações com o objetivo de garantir o cumprimento dos Decretos Municipais, sendo 896 estabelecimentos monitorados, 290 denúncias ou reclamações recebidas, 232 inspeções em empresas para verificar questões que envolvem a saúde do trabalhador. Também foram gerados 131 documentos decorrentes de ações de fiscalização como notificações, autos de infração, interdição, desinterdição e relatórios técnicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here