Pastor Gesiel Oliveira diz que pode até ser preso. Foto: Reprodução

O pastor Gesiel Oliveira, membro da Convenção da Assembleia de Deus no Brasil (CADB), virou alvo de uma investigação da Promotoria da Saúde do Amapá após ajudar uma família a conseguir medicamentos via pedido nas redes sociais.

No relato, o pastor conta que tal atitude levou a uma perseguição que pode até mesmo cassarem a sua credencial de pastor. Leia abaixo:

O IBGH ingressou com pedido junto ao MP processando o Pr Gesiel Oliveira por Fake News, por (acredite) solicitar (a pedido da família) medicamento NORADRENALINA nas redes sociais para uma mãe de família carente que estava entubada no Centro de Covid-1 no HCAL. Ele conseguiu 52 ampolas pela união e bondade fraternal do povo do Amapá. As medicações foram entregues ao marido da paciente, ele tentou entregar lá no hospital, mas o IBGH, empresa contratada pelo Estado por R$58 milhões para administrar as tendas de Covid-19, mandou os funcionários não aceitarem os medicamentos, e a senhora faleceu poucos dias depois. Agora o Pr Gesiel Oliveira está tendo de contatar advogado para se defender da fúria da empresa que acionou o MPE para dizer que “nunca faltou medicamentos durante a Pandemia“, conta o pastor.

O pastor demonstrou preocupação com a atitude do IBGH e teme pela sua liberdade: “Não se espantem se eles pedirem a minha prisão. Eles enviaram uma carta pra minha convenção geral lá no Rio de Janeiro. Querem também cassar a minha carta de pastor”.

Confira a notificação:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here