André Mendonça tem formação em teologia e é pastor na Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília. Foto: Reprodução

Por Heleno Farias – JM Notícia

O presidente Jair Bolsonaro já disse que o atual ministro da Justiça, André Mendonça, é “terrivelmente supremável” – em uma brincadeira com outra declaração sua, de que indicaria um ministro “terrivelmente evangélico” para o Supremo Tribunal Federal (STF). A declaração de Bolsonaro ganha cada vez mais força e coloca o pastor presbiteriano na condição de favorito para a próxima vaga no STF, que vai ser aberta neste ano de 2020 com a aposentadoria compulsória do ministro Celso de Mello.

+ Ministro da Justiça defende evangélicos após ataque de jornalista esquerdista

+ Novo ministro da Justiça defenderá ‘valores cristãos e da família’, diz Bancada Evangélica

Analistas políticos do portal conservador Gazeta do Povo avaliaram como o pastor André Mendonça ganhou força e pode ser o próximo ministro do STF, o primeiro indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (assista ao final da matéria).

Além de integrar o governo, Mendonça cumpre um dos requisitos de Bolsonaro para o cargo: é evangélico; atua como pastor na Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília. Além disso tem um vasto histórico de combate à corrupção, uma das pautas de campanha de Bolsonaro.

Pastor evangélico

André Mendonça tem formação em teologia e é pastor na Igreja Presbiteriana Esperança de Brasília. Ele frequenta os cultos semanalmente. Além de pregar e dar palestras, coordena a formação espiritual de crianças. À Globo News, afirmou que “o desejo de pregar sobre Jesus vem desde a infância”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here