Redação JM Notícia

Amastha acorrentado em frente à CGU (Foto: Divulgação)

O ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), resolveu se acorrentar na porta da Controladoria Geral da União e iniciar uma greve de fome até ser atendido pelo superintendente.

Amastha faz questão de apresentar os documentos que comprovam sua inocência na operação Operação Carta Marcada, da Polícia Federal (PF), que investiga a contratação de locação de carros durante sua gestão na capital tocantinense.

Vários ex-secretários e empresários foram alvos de mandatos de busca e apreensão e mandatos de prisão na última semana, acusados de desviarem R$ 15 milhões dos cofres públicos.

+ Amastha e ex-secretários são alvos de operação da PF

Defendendo sua honra, o ex-prefeito gravou vídeos e faz questão de ter a imprensa local presidente nesse encontro com o superintendente Controladoria-Geral da União (CGU), Leandro da Cruz Alves, que aceitou atendê-lo ainda hoje.

“Acorrentado na porta da CGU e iniciando greve de fome. Apenas água até ser atendido pelo superintendente em companhia da imprensa. Exijo restituir a minha honra”, escreveu Amastha no Twitter.

Mais tarde ele trouxe novidades: “O Dr. Leandro, superintendente da CGU, veio falar comigo . Foi discutir com os seus pares se atende meu pedido. Quero entregar a documentação na presença da imprensa. Apenas isso”, declarou.

No vídeo do atendimento na CGU mostra Leandro da Cruz Alves ouvindo o que Amastha tinha a dizer. No final, ele superintendente diz: “A CGU é um órgão técnico, a CGU não entra em meandros políticos”.

Alves também diz que o trabalho da CGU dará o encaminhamento que achar melhor sobre o caso. Assista:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here