O veto é do prefeito Ronaldo Dimas que afirma que a liberação poderia dificultar as ações de enfrentamento da pandemia

A Câmara de Araguaína derrubou o veto do prefeito Ronaldo Dimas ao projeto de lei que reconhece a atividade religiosa como essencial para a população.

No pedido de veto, o prefeito afirmou que reconhece a importância das igrejas e dos templos religiosos, mas afirma que a liberação poderia dificultar as ações de enfrentamento da pandemia e que não existe estudo científico que prove o contrário.

+ Ronaldo Dimas se reúne com líderes evangélicos para tratar da flexibilização de cultos presenciais em Araguaína

O projeto de lei é de autoria do presidente da Câmara, Aldair da Costa Sousa, o Gipão, e foi aprovado no final de junho. Segundo ele, o projeto é importante para que as igrejas não sejam afetadas, por exemplo, no caso de lockdown em Araguaína.

(Com NTocantins)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here