O vereador Erivelton Santos (PV), atuante na luta pela preservação do meio ambiente, questionou na tribuna da Câmara de Palmas a precariedade de Políticas referentes à preservação do Meio Ambiente, na capital. O parlamentar ressaltou os prejuízos da falta de efetivo para fiscalizar as ações de degradação ambiental.

Por meio de termo de cooperação técnica  a Fundação de Meio Ambiente atribuiu a Guarda Metropolitana o papel de fiscalizar os crimes Ambientais. Para o Vereador isto não pode perdurar por muito tempo, a carreira dos fiscais precisa ser reconhecida e valorizada, a Câmara de vereadores já aprovou a lei de produtividade dos agentes Ambientais, mas até agora o executivo não se manifesta. Apenas dois agentes estão na ativa, existe um déficit de 13 vagas para o quadro da fiscalização.

Conforme Erivelton, as áreas verdes não dispõem de assistência efetiva do município, como por exemplo, a Unidade de Conservação das Arnos (AVNO-51). “É lamentável presenciar a ocorrência de incêndios florestais, como o que destruiu uma área de 900 mil metros quadrados na região norte de Palmas”, lamentou, ressaltando o sucateamento da Fundação Municipal de Meio Ambiente.

Além disso, o vereador lamentou a demora na emissão dos licenciamentos ambientais, a falta de monitoramento e demora no julgamento dos recursos. “Toda essa demora se deve à falta de técnicos na Fundação. Infelizmente a educação ambiental praticamente inexiste, portanto, não estamos em condições de ficar sem as fiscalizações”, contestou Erivelton.

Plano de Combate às Queimadas

No mês de maio o vereador solicitou que a Prefeitura de Palmas providenciasse o Plano de Combate às Queimadas, prevendo a situação que a Capital enfrenta todos os anos.  Erivelton justificou que além de ser uma questão de saúde pública, os municípios que formam Plano de Ação e combate às queimadas apresentam redução significativa dos focos de queimadas durante o período de seca. A Prefeitura se manifestou dizendo que faria o plano, porém, na prática a sociedade não identificou nenhuma ação.

Vale ressaltar que em seis meses de mandato, Erivelton demonstra total apoio e atuação em defesa do Lago, dos córregos e das áreas de proteção ambiental, pois entende que cuidar do meio ambiente é garantir o futuro do planeta, isto que tantos desastres ambientais já ocorrem, devido a falta de consciência ambiental da humanidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here