Hospital de campanha de Araguaína pode ser entregue até o dia 15 de setembro

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, poderá entregar para a população a primeira etapa das obras do Hospital Municipal Eduardo Medrado, que servirá como hospital hospital de campanha, já no dia 15 de setembro. A agilidade na obra foi o motivo do  pedido, nesta sexta-feira, 28, no Palácio Araguaia, do apoio do Governo do Estado com R$ 6 milhões em repasse ao Fundo Municipal da cidade. O dinheiro servirá para a conclusão dessa etapa da unidade que será adaptada inicialmente para atender pacientes com covid-19.

“A implantação da unidade hospitalar em andamento tem custo estimado em R$ 12 milhões e solicitamos à Vossa Excelência parceria para que possamos implementar tão importante ação transferindo ao Fundo Municipal de Saúde R$ 6 milhões”, explica ofício entregue por Dimas ao governador em reunião.
  
Tanto no documento, quanto no encontro, o prefeito detalhou todos os esforços de Araguaína para ampliar a rede hospitalar municipal, oferecendo mais leitos e equipamento às pessoas da cidade e de toda a região.

Sobrecarregada, Araguaína é referência para um contingente populacional de 2 milhões de pessoas de toda a região. “Somos aproximadamente 700 mil habitantes somente nesta região de saúde. Porém Araguaína, com 200 mil habitantes e diversos cursos técnicos, de graduação e pós-graduação na área da saúde, incluindo dois cursos de medicina, é a referência de uma região bem maior, inclusas as regiões sul dos estados do Pará e Maranhão perfazendo uma população superior a 2 milhões de habitantes em um raio de 300 quilômetros. Atendemos boa parte destes brasileiros todos os dias e não tem sido diferente nesta pandemia”, detalhou Dimas.

Estrutura
Hoje, após muito trabalho da Prefeitura de Araguaína, com apoio dos governos federal e estadual, a Rede Hospitalar covid-19 em Araguaína está composta por 152 leitos, sendo 56 UTI adulto, 6 UTI pediátrico, 80 clínicos adulto, 3 clínicos pediátrico, 2 UTI estabilização e 5 clínicos estabilização.

“Infelizmente percebemos há aproximadamente 40 dias que tal estrutura não seria suficiente. Como temos em andamento projeto para execução da sede própria do Hospital Municipal Eduardo Medrado (pediátrico, de referência para mais de 70 municípios, e que hoje funciona em prédio locado), resolvemos dividi-lo em duas etapas: a primeira, composta pela Centro Cirúrgico, 20 leitos de UTI e pelo bloco de apoio e serviços; e a segunda, composta por 80 leitos clínicos, ambulatórios, atendimento de urgência entre outros. Esta divisão visa a ocupação temporária e transformação da primeira etapa em uma nova unidade provisória ou de campanha para atendimento aos enfermos da covid-19, sendo que a ala destinada ao Centro Cirúrgico contará momentaneamente com 40 leitos clínicos. Como pode ser observado, após o fim da pandemia, teremos um legado desta que atenderá milhares de crianças brasileiras”, ressaltou o prefeito, ao destacar o apoio financeiro para essa obra.  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here