Prefeitura de Araguaína decide manter aulas suspensas por tempo indeterminado

As aulas presenciais na rede municipal de Araguaína continuarão suspensas por tempo indeterminado. A prefeitura havia informado que os estudantes poderiam voltar para as salas nesta terça-feira (1º), mas decidiu adiar novamente o retorno.

Por outro lado, a prefeitura informou que haverá um aumento no volume de atividades remotas. As crianças continuarão a realizar as atividades em casa e estamos aumentando a quantidade de horas por dia que os alunos irão dispor para realizá-las, a carga horária passa de duas para três horas diárias”, afirmou o superintendente da Educação, Railon Borges.

Para que os estudantes tenham acesso ao material pedagógico, é necessário que os pais busquem uma apostila a cada 15 dias na unidade em que os filhos estudam, no horário de 7 às 11h e de 13 às 17h. A realização dessas atividades conta como presença na aula e compõe a nota bimestral do aluno.

Profissionais chegaram a preparar salas para retomada das aulas em Araguaína, mas retorno foi adiado — Foto: Marcos Sandes/Prefeitura de Araguaína
Profissionais chegaram a preparar salas para retomada das aulas em Araguaína, mas retorno foi adiado — Foto: Marcos Sandes/Prefeitura de Araguaína

As aulas no município estão suspensas desde o início de março. Os alunos da zona rural chegaram a retornar no mês de julho de forma presencial e por meio de revezamento. Mas, o município decidiu suspender no fim do mesmo mês e, desde então, os cerca de 500 alunos continuam as aulas de forma remota.

A previsão era que as aulas presenciais dos alunos da zona urbana votassem no dia 3 de agosto. Na época, a prefeitura chegou a informar que 66 unidades iriam reabrir seguindo protocolos de segurança. Em cada sala teria apenas nove cadeiras. Além disso, os alunos ficariam sem recreio para evitar aglomeração.

No entanto, o município voltou atrás e disse que nem todos os profissionais da educação haviam feito teste para detecção de Covid-19 e que por isso, a data seria prorrogada para 1º de setembro, e agora foi novamente adiada.

Desde o mês de junho, os alunos têm feito atividades enviadas pelas escolas. Os cadernos de atividades remotas foram preparados pelos professores com o objetivo de minimizar o impacto da perda das aulas presenciais. Cada apostila tem atividades para duas semanas e são desenvolvidas com suporte dos professores por meio de canais virtuais.

De acordo com a prefeitura, ao final das duas semanas os pais vão à escola para entregar o material respondido e pegar uma nova apostila para as próximas duas semanas.

De acordo com a prefeitura, os alunos também contam com o Portal do Aluno, que pode ser acessado no site da Prefeitura ou aplicativo GEP – Sala de Aula. O sistema on-line disponibiliza digitalmente todo o material didático que é retirado na escola, a cada 15 dias, e ainda também as videoaulas.

Por meio de login e senha individual, as crianças e os pais podem acessar o portal para resolver todas as atividades propostas on-line ou mesmo imprimir individualmente uma folha da apostila. Para as perguntas objetivas, os alunos já sabem na hora se erraram ou acertaram, e nas subjetivas têm correção do professor.

(Com G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here