O programa socioeducacional alcança famílias em situação de vulnerabilidade social e oferece educação de qualidade em tempo integral para crianças e adolescentes

No final da década de 1990, uma violenta estiagem no sertão da Bahia deixou povoados inteiros próximos à cidade de Irecê (a 500 quilômetros da capital Salvador) em situação de miséria e gerou uma grave crise socioeconômica. Para ajudar os moradores da região, em agosto de 2000, nasceu o Projeto Nova Canaã.

Há 20 anos, o projeto desenvolve um programa socioeducacional que alcança famílias em situação de vulnerabilidade social e oferece educação de qualidade em tempo integral para crianças e adolescentes. A faixa etária atendida é de 4 a 18 anos. As atividades do programa proporcionam novas oportunidade na vida desses jovens por meio da educação, do esporte, da cultura e da saúde.

Além da grade escolar, são oferecidas diversas atividades esportivas (entre elas futebol, judô, natação e capoeira), recreativas e aulas de teatro, dança, culinária, artesanato, etc. O projeto ainda oferece cursos de capacitação, como língua inglesa, redação, introdução a informática, secretariado, atendente de farmácia, auxiliar administrativo e de empreendedorismo.

A instituição, que está alocada em um área total de 500 hectares, possui cerca de 200 funcionários divididos nos setores administrativo, de manutenção e agrícola, além da padaria e da escola. Ao longo dos anos, esses empregos, direta e indiretamente, auxiliaram tanto a população como o comércio local contra a miséria que era vivida na região.

“O Projeto Nova Canaã faz uma diferença enorme para toda a comunidade, pois ajuda milhares de pessoas a alcançarem uma vida diferente e serem protagonistas de uma nova história. O Espírito Santo tem sido o pão nosso de cada dia e nos enche de forças para atuar.

Os desafios do dia a dia são como um combustível para essa luta”, contou Leonardo de Souza dos Santos, responsável pelo projeto.

Videoaulas e ajuda às famílias
Atualmente, 613 alunos estão matriculados em turmas que vão da educação infantil ao ensino médio. Normalmente, os jovens frequentam a instituição com assiduidade e contam com quatro refeições diárias (e levam diariamente cinco pães para ajudar a alimentar a família), transporte escolar, material didático e acompanhamento médico e odontológico. Tudo é gratuito.

Com a pandemia do novo coronavírus, os alunos estão sendo acompanhados remotamente por meio de videoaulas. “A pandemia impactou a rotina de todos, mas não impediu a continuidade do trabalho. O acompanhamento educacional não parou, mas, pelo contrário, aumentou, pois visitamos os alunos periodicamente e fazemos as videoaulas. É a forma de continuarmos atendendo a todos, com o mesmo carinho e empenho, como se estivessem aqui no projeto”, explicou Leonardo.

A diretora pedagógica Ana Cássia da Silva Dourado está no projeto há 16 anos e encara a nova realidade como um grande aprendizado.

“Comecei no projeto como voluntária e depois atuei mais sete anos como professora. Aprendi muito todos esses anos com os desafios e as oportunidades de ajudar as pessoas. O trabalho remoto tem sido uma descoberta. A visita às famílias nos ajuda a entender melhor o nosso aluno e, a partir daí, construir novas estratégias de trabalho”, comentou.

Mapeamento da assistência social
Segundo Leonardo, muitas pessoas da região perderam sua fonte de renda, já que trabalhavam por conta e não puderam mais exercer suas atividades ou foram demitidas.

Diante dessa realidade, os colaboradores do projeto se mobilizam para visitar as casas, sempre respeitando o distanciamento social e as normas de proteção individual, e entregar material de estudo aos jovens e cestas básicas de alimentos às famílias.

Há cerca de três meses foi lançada a ação SOS Famílias do Sertão. Trata-se de uma campanha que tem o objetivo de ampliar a ajuda social já fornecida pelo projeto em Irecê para famílias do sertão nordestino, especialmente aquelas que estão passando por dificuldades por conta da crise causada pela Covid-19. Jovens que concluíram o ensino médio são convidados a realizar esse trabalho de combate à fome. Atualmente são 26 voluntários.

O cadastro das famílias em situação de vulnerabilidade social já acontece por meio de um mapeamento da assistência social do projeto. As famílias passam a ser acompanhadas e recebem orientações para seu desenvolvimento social durante o processo de formação das crianças. Outra iniciativa é o Canaã em Família: palestras especiais com profissionais, nas áreas de psicologia e assistência social que abordam diversos temas pertinentes à relação familiar.

Em setembro do ano passado, o Nova Canaã recebeu uma visita especial do ator Petrônio Gontijo (que interpretou o Bispo Edir Macedo) durante um passeio de lançamento do longa-metragem Nada a Perder 2. Mais de 5 mil pessoas, muitas delas que nunca tinham ido ao cinema, assistiram ao filme em uma estrutura montada a céu aberto, por meio do projeto Cinema Solidário.

Quer saber mais sobre o projeto e como contribuir com este trabalho? Acesse a página do projeto nas redes sociais:facebook.com/projetocanaa.

(Com IURD/Michele Roza / Fotos: Cedidas )

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here