De acordo com a Polícia Federal, criminosos fraudavam o pagamento do auxílio emergencial nas contas do Caixa Tem / FOTO: Reprodução Internet

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta quarta-feira (30), mandados de prisão preventiva, busca e apreensão contra uma quadrilha suspeita de invadir contas bancárias digitais de pessoas que estavam recebendo o Auxílio Emergencial e furtar o dinheiro do benefício. A operação foi chamada de Fraudulenti Auxilium.

São cerca de 30 policiais federais cumprindo dois mandados de prisão preventiva e seis ordens de busca e apreensão, em Palmas, Paraíso do Tocantins e Formoso do Araguaia. Todos foram expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins.

Leia+Covidão: PF investiga suposta fraude em contratos do Estado para a compra de máscaras

De acordo com a Polícia Federal, os criminosos fraudavam o pagamento do auxílio por meio de acessos indevidos nas contas bancárias digitais criadas pela Caixa Econômica Federal (CEF). Os valores eram utilizados para o pagamento de boletos bancários fraudulentos ou transferidos para contas de terceiros.

O grupo se aproveitava da inocência, da simplicidade e do reduzido grau de escolaridade das vítimas para induzi-las ao erro. A PF não explicou como funcionava o esquema ou o valor que foi furtado pelos suspeitos.

Os investigados poderão responder pelos crimes de estelionato majorado, furto qualificado mediante fraude (via internet banking), associação criminosa e lavagem de dinheiro. As penas somadas podem chegar a 19 anos de prisão.

O nome da Operação “Fraudulenti Auxilium” é uma referência, em latim, ao auxílio fraudulento recebido pelos suspeitos em prejuízo das vítimas, que são os verdadeiros beneficiários.

FONTE: G1 Tocantins

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here