O cristão ex-muçulmano Mohammad Reza (Youhan) Omidi foi chicoteado 80 vezes no dia 14 de outubro, por beber vinho como parte da santa ceia, no Irã. É ilegal que os iranianos muçulmanos bebam álcool, mas exceções são feitas para minorias religiosas reconhecidas, incluindo os cristãos. No entanto, o Irã não reconhece os convertidos do islamismo como cristãos e a atitude de Omidi foi vista como contrária à lei, resultando na punição física.

De acordo com o site britânico Article18, essa falta de reconhecimento também é a razão pela qual Omidi passou os últimos dois anos na prisão e, agora, vive em exílio interno. Ele tem filiação com uma igreja doméstica, que é o único tipo de comunidade para cristãos ex-muçulmanos no Irã. Há um mês, o seguidor de Jesus está exilado na cidade de Borazjan, no sudoeste do país. Porém, em 10 de outubro, ele recebeu uma intimação das autoridades de Rasht, sua cidade natal, para viajar de volta para casa às próprias custas, e receber as chicotadas.

O seguidor de Cristo e dois colegas membros da igreja, Mohammad Ali (Yasser) Mossayebzadeh e Zaman (Saheb) Fadaee, foram condenados às 80 chicotadas em setembro de 2016 pelo tribunal de Rasht, mas só agora a pena recebida foi cumprida. Essa punição, que acompanha uma sentença de 10 anos, foi imposta a eles e ao pastor Yousef Nadarkhani por um tribunal em Teerã. 

Essa não foi a primeira vez que o cristão foi punido dessa maneira. Em 2013, ele também levou 80 chicotadas, ao lado de outro membro da igreja e pela mesma razão: eles beberam vinho durante a celebração da santa ceia. No entanto, nas duas ocasiões, amigos dele dizem que estava grato pela clemência mostrada por aqueles que executaram a sentença, depois que ele explicou a eles que não tinha agido com impropriedade, mas que estava compartilhando um cálice de vinho como um ato de adoração a Deus. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here