Conecte-se conosco

Mundo Cristão

“Acabou a farra”, diz líder evangélico do Tocantins sobre decisão do ministro do STF proibindo políticos de fecharem igrejas

Ricardo Costa

Publicado

em

Da Redação JM Notícia

A decisão neste sábado (3), véspera da Páscoa, do ministro Kássio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que liberou celebrações religiosas presenciais em estados e municípios ganhou as redes sociais devido à problemática causada por muitos governantes que se apropriaram da pauta da pandemia para investir contra o direito de culto, este consagrado pela Constituição Brasileira.

Nas mídias sociais, líderes cristãos e autoridades políticas comentaram a decisão e analisam seus desdobramentos e impacto no cenário nacional.

No Tocantins, o presidente da APEBE/TO –  Associação Pró-Evangélicos do Brasil e Exterior – seccional – Tocantins – Ricardo JM, um dos líderes conservadores atuante no Estado em favor da liberdade religiosa e da pauta evangélica, também comentou a decisão do ministro Kássio Nunes e disse esperar que a decisão monocrática seja aprovada em votação futura a ser realizada pelo Plenário do Supremo.

“Em tempos onde o STF reiterada vezes apresenta decisões que a nosso ver vai, na maioria das vezes, contra os cristãos e as pautas conservadores que defendemos, a decisão do ministro Kássio Nunes mostra-se relevante, pois traz à tona um debate que precisa ser referendado pelo Supremo que é a liberdade das igrejas permanecerem abertas mesmo em meio à pandemia, sempre respeitando as medidas sanitárias de prevenção. O certo é que, ao menos por enquanto, a decisão do ministro acabou com a farra dos fechamentos de igrejas”, disse o jornalista.

Ricardo Costa salientou que uma vez que a omissão da Corte sobre o tema liberdade de culto x pandemia demorou tanto tempo, muitos prefeitos e governadores agiram como verdadeiros ditadores mandando fechar templos e humilhando líderes religiosos.

“O artigo 5º  da Constituição Federal em seu inciso VI assegura o livre exercício do culto, é uma cláusula pétrea e a Carta Magna destaca ainda que cabe ao Estado garantir, na forma da lei, a proteção aos locais de cultos e suas liturgias, mas o que temos visto desde o início da pandemia são as autoridades rasgando o texto constitucional em nome de uma suposta proteção aos cidadãos. Vale ainda ressaltar que as decisões são incoerentes e a maioria delas sem nenhuma base científica”, destacou Ricardo, que também é bacharelando em direito.

Entenda

Em decisão neste sábado (3), véspera da Páscoa, o ministro Kássio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou celebrações religiosas presenciais em estados e municípios, desde que os cultos, missas e reuniões sigam os protocolos sanitários.

“Concedo a medida cautelar pleiteada, ad referendum do Plenário, para o fim de determinar que: os Estados, Distrito Federal e Municípios se abstenham de editar ou de exigir o cumprimento de decretos ou atos administrativos locais que proíbam completamente a realização de celebrações religiosas presenciais, por motivos ligados à prevenção da Covid19”, escreveu Nunes Marques na decisão.

A decisão do ministro se refere a um pedido ainda de 2020, da Associação Nacional de Juristas Evangélicos.

Na decisão, o ministro reconhece a pandemia, mas afirma “diversas atividades também essenciais, tais como o serviço de transporte coletivo, vêm sendo desenvolvidas ainda que em contexto pandêmico, demandando para tanto um protocolo sanitário mínimo que, com as devidas considerações, poderia ser também adotado no presente caso”.

Em outro trecho, o magistrado afirma que reconhece “que o momento é de cautela, ante o contexto pandêmico que vivenciamos. Ainda assim, e justamente por vivermos em momentos tão difíceis, mais se faz necessário reconhecer a essencialidade da atividade religiosa, responsável, entre outras funções, por conferir acolhimento e conforto espiritual”.

Publicidade

Últimas notícias

Brasil/Mundo5 horas atrás

Juiz cita ‘discriminação religiosa’ e nega pedido para afastar secretário responsável por Lei Rouanet

“É um claro ato de discriminação religiosa, como bem ressaltou o juiz Itagiba Catta Preta”, afirmou.

Brasil/Mundo6 horas atrás

Ex-secretário de Comunicação é acusado de mentir na CPI da Pandemia

Renan Calheiros chegou a pedir a prisão em flagrante de Wajngarten, que falava na condição de testemunha

Brasil/Mundo6 horas atrás

Prouni: estudantes têm até hoje (13) para entregar documentos e não perder a vaga

Documentação precisa ser apresentada à instituição de ensino a qual o candidato pretende estudar

Brasil/Mundo1 dia atrás

Presidente de Convenção dispara criticas contra pastor por ordenar mulheres ao pastorado

A igreja criticada por JD Greear é a igreja fundada pelo pastor Rick e Kay Warren

Brasil/Mundo1 dia atrás

Líderes negros denunciam racismo sistêmico na principal clínica de aborto dos EUA

Democratas e republicanos assinam o documento que mostra que mais negros são mortos pelo aborto, mesmo sendo minoria no país

Brasil/Mundo1 dia atrás

Hamas ataca Israel com mais de 1.000 foguetes e cria caos em várias cidades

Conflitos geraram várias mortes de israelenses e de palestinos e aumentam a tensão entre os países do Oriente Médio

Brasil/Mundo1 dia atrás

Em Curitiba, Marcha para Jesus acontecerá no próximo sábado (15) em formato de carreata

O grupo entregou ao prefeito a camiseta da marcha que neste ano tem como tema o versículo bíblico “Agora, pois,...

Brasil/Mundo2 dias atrás

Sugestão Legislativa quer tornar crime ensino da ideologia de gênero nas escolas

Senadores devem discutir se a sugestão é constitucional

Brasil/Mundo2 dias atrás

Hamas lança foguetes contra Israel que revida

País respondeu com ataques aéreos em Gaza e há pelo menos 20 mortos entre os palestinos,

Brasil/Mundo3 dias atrás

Pastor diz que “igreja brasileira deixou de ser preparada para a perseguição”

Para o pastor Geremias Coutro, é necessário que a igreja volte a tratar do assunto com a máxima urgência.

Publicidade