Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Arqueólogos descobrem a primeira evidência de terremoto descrito no livro de Amós

Evidências arqueológicas em outros locais mostram muito claramente destruições causadas por ‘terremoto’ e não por atos militares de destruição

Publicado

em

Uma equipe de arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel encontrou evidências concretas do terremoto descrito no livro de Amós, escrito no século 8 a.C..

O livro de Amós começa assim: “As palavras de Amós, que estava entre os pastores de Tecoa, as quais viu a respeito de Israel, nos dias de Uzias, rei de Judá, e nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel, dois anos antes do terremoto”.

E não é apenas este profeta que descreverá um grande terremoto em Jerusalém. Em Zacarias 14:5 o “terremoto nos dias de Uzias” também é citado, provando que foi algo grandioso e que fez muitos hebreus fugirem na cidade.

O que os arqueólogos encontraram foi uma estrutura particular do século 8 a.C. com uma camada de destruição que não mostrava sinais de fogo, mas outros fatores sugestivos que indicariam que o edifício havia sido danificado em um evento traumático, aparentemente um terremoto.

“Nesta sala, uma fileira de vasos quebrados foi descoberta ao longo de sua parede norte, acima da qual pedras caídas foram encontradas. Parece que essas pedras eram a parte superior das paredes da sala, que haviam desabado, destruindo os vasos que haviam sido colocados ao longo da parede”, diz a equipe de arqueólogos.

Até agora, as camadas de destruição encontradas em Jerusalém eram datadas da época em que a Babilônia conquistou Israel, isso em 586 a.C. Portanto, essa é a primeira evidência do que aconteceu quase dois séculos depois.

Através de décadas de pesquisa, arqueólogos e sismólogos documentaram com sucesso a veracidade histórica de tal evento de terremoto que se espalhou por todo o Reino de Judá 2.800 anos atrás.

Por exemplo, no site Tel Megiddo, atualizado pelo professor universitário Israel Finkelstein, da Universidade de Tel Aviv, há informações sobre um terremoto de data semelhante que foi estabelecido após anos de pesquisa rastreando a atividade sísmica em vários períodos, “incluindo o Stratum IVA, que de fato data da primeira metade do século 8 aC”, diz o pesquisador.

As escavações recentes lideradas pelo Dr. Joe Uziel e Ortal Chalaf, eles declararam à imprensa local uma camada adicional de destruição do terremoto do século 8 a.C. pode ser encontrada a menos de 100 metros ao sul da área que está sendo escavada.

“Podemos traçar uma linha e dizer que esses são provavelmente dois edifícios separados mostrando as mesmas evidências”, disse Uziel. “Sinto-me bastante seguro sobre isso: um motivo são as evidências arqueológicas, que em outros locais foram encontradas datando do mesmo período, e dois são as evidências arqueológicas em outros locais que mostram muito claramente ‘terremoto’ e não atos militares de destruição ”, disse o arqueólogo ao The Times Of Israel.

PUBLICIDADE