Conecte-se conosco

Brasil/Mundo

Brasil se une a países islâmicos e vota contra Israel na OMS

Publicado

em

Da Redação JM Notícia

 

A embaixadora Aviva Raz-Shechter, representante de Israel na Organização Mundial da Saúde (OMS) denunciou outra ação da ONU contra seu país.

Dessa vez foi uma resolução aprovada que fala trata áreas de Israel como “território palestino ocupado”.

Na aprovação dessas resoluções, o Brasil voltou a se unir com nações islâmicas e votou contra Israel, ao lado de países como Cuba, Venezuela, Síria, Argélia, Egito, Kuwait, Líbia, Paquistão, Arábia Saudita e Tunísia.

O texto critica apenas Israel sobre as más condições de saúde nas áreas em disputa com a Autoridade Palestina e o acordo foi votado sob pressão do regime de Bashar al-Assad.

“Mais uma vez testemunhamos o teatro do absurdo glorificando o preconceito contra Israel usando um fórum profissional da ONU”, escreveu a embaixadora no Twitter.

Todos os países da União Europeia votaram contra Israel, menos a Grã-Bretanha, como destacou o site Jewish Press, o que preocupa Tel Aviv cada vez mais sem apoio entre os países. Quem votou a favor de Israel foram os países: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Guatemala, Togo e a própria representante de Israel.

A votação para manter o foco da OMS em Israel para o próximo ano foi de 98 para 7, com 21 abstenções.

A Síria reclama das condições de saúde na área de Golan Heights, se esquecendo das condições de seu próprio povo que vive uma das piores guerras já vistas. De acordo com a ONU mais de 300 instalações médicas foram alvo de bombardeios só no ano passado.

“No mundo real, a Síria derruba bombas de barril em seus próprios hospitais. No mundo das Nações Unidas, a Síria co-patrocina a resolução que hoje é dirigida a Israel”, ironizou o Diretor Executivo da UN Watch, Hillel Neuer, no Twitter.

“A ONU deve rejeitar o sequestro de sua agenda de saúde mundial por regimes árabes e ditaduras aliadas como Cuba e Venezuela “, declarou Neuer.

Publicidade

Últimas notícias

Brasil/Mundo2 dias atrás

Hábitos que surgiram na pandemia e podem gerar sofrimentos psíquicos como ansiedade e depressão

Psicóloga e professora da UniAvan dá dicas para identificar quando um hábito se torna uma síndrome, como tratar e como...

Brasil/Mundo3 dias atrás

Instituto faz campanha para promover reconstrução facial gratuita para quem sofre com o rosto desfigurado

A parceria entre o Instituto Mais Identidade e a UNIP visa devolver a autoestima e a esperança dos pacientes

Brasil/Mundo3 dias atrás

Ministério da Saúde suspende vacinação contra Covid-19 em adolescentes sem comorbidades

Jovens de 12 a 17 anos que tomaram a primeira dose NÃO devem tomar a segunda dose

Brasil/Mundo3 dias atrás

Governo Federal propõe programa habitacional mais barato e mudanças no Casa Verde Amarela

Os usuários contemplados poderão ter descontos acima de R$ 30 mil no valor final do imóvel

Brasil/Mundo4 dias atrás

Com mais de 400 mil fiéis no Brasil, Convenção CEADDIF se reúne para falar de discipulado

São mais de 4 mil pastores e pastoras, atuando em cerca de 200 ministérios

Brasil/Mundo4 dias atrás

Somos Futuro seleciona estudantes para bolsas integrais no ensino médio

Para participar do processo é preciso estar no 9º ano do Ensino Fundamental II em escola pública

Brasil/Mundo4 dias atrás

Habite Seguro: Bolsonaro lança programa habitacional para profissionais da segurança pública

Programa é para profissionais que ainda não possuem um imóvel com renda mensal de até R$ 7 mil

Brasil/Mundo5 dias atrás

Bolsonaro sanciona lei e 25 milhões de brasileiros terão conta de luz mais barata

A sanção presidencial visa simplificar a inscrição no programa Tarifa Social para que potenciais beneficiários sejam incluídos automaticamente

Brasil/Mundo5 dias atrás

Caetano Veloso perde ação judicial contra Marco Feliciano que o chamou de pedófilo

O juiz entendeu que o deputado federal exerceu o legítimo direito de liberdade de criticar

Brasil/Mundo6 dias atrás

Jornalista espanhol diz que Neymar tem contrato com o PSG para não falar de religião

O contrato oferece 6,5 milhões de euros para o jogador caso ele fique longe de polêmicas políticas e religiosas