Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

Eli Borges diz que deputados que votaram pelo plantio da maconha se arrependerão no futuro

Texto aprovado em comissão especial permite o plantio da Cannabis sativa em todo o território nacional

Publicado

em

O deputado federal Eli Borges (SD-TO) criticou a liberação para o plantio de Cannabis sativa em todo território nacional e não apenas em área suficiente para a produção de medicamentos.

Ligado a projetos de recuperação de dependentes químicos, o parlamentar deu seu voto contrário ao PL 399/2015 que foi aprovado na última semana em comissão especial na Câmara dos Deputados.

Em sua fala, Eli Borges comentou o desespero das famílias ao verem seus entes queridos viciados em drogas. “Não é uma hora boa para o Brasil. Me refiro ao Brasil de pais que estão desesperados vendo seus filhos enveredar pelas drogas”, lamentou.

Em seu entendimento, o país já não consegue efetuar o controle sobre as drogas e o texto aprovado facilitou a caminhada para que a maconha seja plantada no país.

Eli Borges questiona o texto aprovado, pois menos de um hectare de plantio de maconha já seria suficiente para produzir matéria-prima para o cannabidiol, logo, não seria certo legalizar o plantio em todo o país.

Outro termo do projeto aprovado fala sobre o “marco regulatório da cannabis no Brasil“, não sendo portanto apenas a questão do medicamento. “A história em resumo é esta: a proposta é feita para liberar plantio em todo o território nacional, a proposta é para trazer um novo marco regulatório do plantio de maconha no Brasil e os senhores, nos anos que virão, hão de olhar para esse dia aqui e dizer: ‘naquele dia, nós não fomos felizes'”.

Por ser uma comissão especial, o texto seguiria direto para o Senado, mas os 17 deputados que são contrários ao projeto apresentarão um recurso para que a proposta seja debatida no plenário da Câmara.

 

Assista:

 

PUBLICIDADE