Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Tocantins

Endividamento das famílias palmenses se revela estável em janeiro, diz Fecomércio

Publicado

em

endividamentoEm queda desde julho do ano passado, o endividamento das famílias palmenses de janeiro se manteve estável com relação a dezembro último. Seu índice ficou em 69,3%. Na comparação com o mesmo período de 2015, que registrou 77,7%, a queda foi de 8,4%. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) é realizada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com a Fecomércio Tocantins.

De acordo com o presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, o quadro recessivo de 2015 e que continua nesse início de 2016 fez com que o consumidor pensasse bem antes de se endividar. “Não poderia ser diferente, as famílias palmenses mostraram que, mesmo nos períodos natalino e de ano novo, mantiveram o pé no freio na hora das compras”, destacou Pisoni.

 O cartão de crédito continua sendo o grande vilão das dívidas, utilizado por 66,3% dos entrevistados. O uso do carnê ficou em segundo com 30,1% e o financiamento de veículo em terceiro, apontado por 26,2%.

 Com relação às contas em atraso, 77,7% das famílias disseram não possuí-las. Sobre as que afirmaram ter condições de pagar as dívidas em atraso, somadas as que podem fazê-lo total e parcialmente, chegaram a 95,4%. As famílias que disseram não conseguir quitar as dívidas ficaram em 0,3%, índice igual aos meses de novembro e dezembro últimos.

 Sobre o tempo de pagamento das dívidas, 37,4% optaram pelo prazo entre 30 e 90 dias. Já o tempo médio para esse pagamento chegou a 50,9 dias. O tempo de comprometimento com as dívidas por mais de um ano foi apontado por 55,2%. Enquanto o tempo médio desse comprometimento com as dívidas ficou igual aos três últimos meses de 2015, ou seja, em 8,7 meses.

 Na parcela da renda comprometida com dívidas, dentre os endividados, somaram 68,4% que afirmaram gastar entre 11% e 50% da renda. Enquanto o comprometimento médio de renda ficou em 32,9%.

 Sobre a PEIC

A PEIC de janeiro entrevistou 500 famílias palmenses divididas em duas categorias: as que recebem até 10 salários mínimos ao mês e as que ganham mais de 10 salários mínimos. Os números aqui elencados são do índice geral, ou seja, das duas categorias pesquisadas. A pesquisa analisa os seguintes itens: nível de endividamento; tipo de dívida; famílias com contas em atraso; condição de pagamento da dívida em atraso; tempo de pagamento em atraso; tempo de comprometimento com dívidas; e parcela da renda comprometida com dívidas. Sua aplicação ocorreu nos últimos 10 dias do mês de dezembro de 2015.  (Ronaldo Coelho – Ascom Fecomércio TO)

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo12 horas atrás

Motivação de estudantes aumentou com retorno das aulas presenciais, diz pesquisa

Na opinião de pais, 87% dos filhos que frequentam as aulas presenciais se sentem mais animados

Brasil/Mundo1 dia atrás

Governo de Rondônia proíbe ‘linguagem neutra’ nas escolas

Os professores e instituições poderão ser punidos se não obedecerem

Brasil/Mundo1 dia atrás

Moraes determina prisão preventiva e extradição de Allan dos Santos

Blogueiro bolsonarista é alvo do inquérito que apura a divulgação de notícias falsas

Brasil/Mundo2 dias atrás

Covid-19: 20 milhões de brasileiros estão com a segunda dose da vacina atrasada

Índice de pessoas completamente vacinadas contra a doença já teria passado dos 80% do público-alvo, caso não houvesse atraso na...

Brasil/Mundo2 dias atrás

Governo Federal anuncia o Auxílio Brasil de R$ 400 até o final de 2022

O número de beneficiários será ampliado em relação ao Bolsa Família e deve chegar a 16,9 milhões de famílias

Brasil/Mundo3 dias atrás

Inscrições para cursos gratuitos do Google encerram nessa sexta (22/10)

As capacitações são na área de tecnologia e começam nesse ano

Brasil/Mundo4 dias atrás

Censura: Instagram retira ‘recurso de links’ de perfis conservadores

Internautas falam de perseguição política e tentativa de censura

Brasil/Mundo4 dias atrás

Lego anuncia brinquedos sem gênero para influenciar crianças “contra o preconceito”

Para a marca, acabar com o “estereótipos nocivos” vai ajudar as crianças a não serem preconceituosas

Publicidade