Conecte-se conosco

Brasil/Mundo

Estudo ouve diretores escolares para auxiliar no retorno das aulas presenciais

Pesquisa é uma ação conjunta do Centro Lemann e a Global School Leaders

Publicado

em

Na pandemia, a readaptação das aulas exigiu maiores esforços dos profissionais da educação, sendo o ensino remoto a solução para não prejudicar ainda mais a aprendizagem dos estudantes. Nas últimas semanas, com o avanço da imunização contra a Covid-19, o retorna às aulas presenciais já tem data ocorrer. São Paulo, Bahia e Brasília, por exemplo, figuram os locais onde as escolas devem ser reabertas de forma escalonada, totalmente presencial ou híbrida.

Em São Paulo, o secretário de Educação do estado, Rossieli Soares deve decidir até o mês de agosto quando será obrigatória a volta às aulas nas escolas do estado, segundo a CNN Brasil.

Na Bahia, onde algumas escolas privadas reabriram gradualmente nos últimos meses, o governador do estado, Rui Costa, decretou o retorno semipresencial no dia 26 de julho para as escolas estaduais, mas o Sindicato dos Professores defende que não é o momento de retornar às salas. Diante do impasse, o governador baiano informou que os profissionais que não retornarem presencialmente terão corte salarial dos dias não trabalhados.

Minas Gerais também planeja o retorno. A Secretaria de Estado de Educação prevê que, pelo menos, 1.138 instituições voltem às atividades nessa semana. No entanto, assim como em outras regiões, o conselho-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) não concorda com a retomada neste momento.

Até 30 de junho, data mais recente da divulgação oficial do número de vacinados no país, mais de 1 milhão de brasileiros recebeu o imunizante contra a Covid-19, segundo o Governo Federal, o que representa cerca de 14,5% da população, conforme dados do “Our World In Data”. Destes, mais de 74 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina e mais de 26 milhões já estão protegidos com as duas doses. A meta é vacinar 160 milhões de pessoas até o fim de 2021.

O que pensam os diretores e diretoras escolares

O Centro Lemann de Liderança para Equidade na Educação e a Global School Leaders estão realizando, juntos, uma pesquisa que busca dar voz a lideranças escolares nesta retomada de aulas presenciais. A pesquisa aborda temas como acesso a tecnologias, inovações pedagógicas, perspectivas para a reabertura, aprendizagem, evasão e saúde mental de estudantes e profissionais da educação, entre outros assuntos.

Os questionamentos do estudo serão respondidos pelos diretores através de um formulário disponível na internet. O objetivo do estudo é identificar os desafios, as preocupações e os possíveis caminhos a serem trilhados pelas escolas em resposta à pandemia do coronavírus, e a fim de orientar os diretores acadêmicos no processo de reabertura, bem como indicar como governos e sociedade devem apoiar os profissionais da educação no retorno das aulas.

De acordo com a Anna Penido, diretora do Centro Lemann de Liderança para Equidade na Educação, uma das organizações que apoiam a pesquisa no Brasil, na pesquisa os diretores vão contar o que estão fazendo, quais são os principais desafios em relação à pandemia e as soluções que estão encontrando para enfrentar o momento.

“Ao conhecer esses desafios mais a fundo, esperamos que as redes de educação e as organizações da sociedade civil possam colaborar melhor com esses diretores, ajudá-los a superar esses obstáculos e que, também, as soluções que esses diretores já encontraram possam ser compartilhadas com outras escolas, para que também haja colaboração entre pares”, explica Penido.

A participação dos diretores na consulta é voluntária, anônima e se encerra no dia 16 de julho. Os resultados serão utilizados para propósitos sociais sem fins lucrativos e estarão disponíveis a partir da segunda semana de agosto no site http://www.globalschoolleaders.org.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Na pandemia, a readaptação das aulas exigiu maiores esforços dos profissionais da educação, sendo o ensino remoto a solução para não prejudicar ainda mais a aprendizagem dos estudantes. Nas últimas semanas, com o avanço da imunização contra a Covid-19, o retorna às aulas presenciais já tem data ocorrer. São Paulo, Bahia e Brasília, por exemplo, figuram os locais onde as escolas devem ser reabertas de forma escalonada, totalmente presencial ou híbrida.

Em São Paulo, o secretário de Educação do estado, Rossieli Soares deve decidir até o mês de agosto quando será obrigatória a volta às aulas nas escolas do estado, segundo a CNN Brasil.

Na Bahia, onde algumas escolas privadas reabriram gradualmente nos últimos meses, o governador do estado, Rui Costa, decretou o retorno semipresencial no dia 26 de julho para as escolas estaduais, mas o Sindicato dos Professores defende que não é o momento de retornar às salas. Diante do impasse, o governador baiano informou que os profissionais que não retornarem presencialmente terão corte salarial dos dias não trabalhados.

Minas Gerais também planeja o retorno. A Secretaria de Estado de Educação prevê que, pelo menos, 1.138 instituições voltem às atividades nessa semana. No entanto, assim como em outras regiões, o conselho-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) não concorda com a retomada neste momento.

Até 30 de junho, data mais recente da divulgação oficial do número de vacinados no país, mais de 1 milhão de brasileiros recebeu o imunizante contra a Covid-19, segundo o Governo Federal, o que representa cerca de 14,5% da população, conforme dados do “Our World In Data”. Destes, mais de 74 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina e mais de 26 milhões já estão protegidos com as duas doses. A meta é vacinar 160 milhões de pessoas até o fim de 2021.

O que pensam os diretores e diretoras escolares

O Centro Lemann de Liderança para Equidade na Educação e a Global School Leaders estão realizando, juntos, uma pesquisa que busca dar voz a lideranças escolares nesta retomada de aulas presenciais. A pesquisa aborda temas como acesso a tecnologias, inovações pedagógicas, perspectivas para a reabertura, aprendizagem, evasão e saúde mental de estudantes e profissionais da educação, entre outros assuntos.

Os questionamentos do estudo serão respondidos pelos diretores através de um formulário disponível na internet. O objetivo do estudo é identificar os desafios, as preocupações e os possíveis caminhos a serem trilhados pelas escolas em resposta à pandemia do coronavírus, e a fim de orientar os diretores acadêmicos no processo de reabertura, bem como indicar como governos e sociedade devem apoiar os profissionais da educação no retorno das aulas.

De acordo com a Anna Penido, diretora do Centro Lemann de Liderança para Equidade na Educação, uma das organizações que apoiam a pesquisa no Brasil, na pesquisa os diretores vão contar o que estão fazendo, quais são os principais desafios em relação à pandemia e as soluções que estão encontrando para enfrentar o momento.

“Ao conhecer esses desafios mais a fundo, esperamos que as redes de educação e as organizações da sociedade civil possam colaborar melhor com esses diretores, ajudá-los a superar esses obstáculos e que, também, as soluções que esses diretores já encontraram possam ser compartilhadas com outras escolas, para que também haja colaboração entre pares”, explica Penido.

A participação dos diretores na consulta é voluntária, anônima e se encerra no dia 16 de julho. Os resultados serão utilizados para propósitos sociais sem fins lucrativos e estarão disponíveis a partir da segunda semana de agosto no site http://www.globalschoolleaders.org.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo4 horas atrás

ADENOM se prepara para realizar a 13ª Conferência de Avivamento e Missões em Novo México – Vila Velha

A Igreja fica na rua Rosa de Ouro, número 470- em frente a praça do bairro.

Brasil/Mundo7 horas atrás

Sisu 2021.2: inscrições começam nessa terça (03)

Programa disponibiliza vagas de graduação em universidades públicas

Brasil/Mundo13 horas atrás

Manifestação pelo voto impresso lota Avenida Paulista

O deputado federal Eduardo Bolsonaro esteve no evento e falou ssobre a perseguição política contra conservadores; Assista

Brasil/Mundo3 dias atrás

ANAJURE defende liberdade do colégio batista notificado por vídeo contra a ideologia de gênero

"O vídeo em questão, ainda que expresse discordância quanto às teorias de gênero, não estimula qualquer conduta discriminatória", diz a...

Brasil/Mundo3 dias atrás

Livro infantil enfrenta a ideologia de gênero: “Elefantes não são pássaros”

"O livro é uma repreensão absoluta à aceitação da transexualidade e ao número crescente de jovens que se identificam como...

Brasil/Mundo4 dias atrás

Cursos profissionalizantes são aliados na busca pelo emprego

Evento on-line e gratuito vai debater a educação profissionalizante

Brasil/Mundo4 dias atrás

Pandemia afetou o comportamento de responsáveis por crianças de até três anos em famílias de classe D

Isolamento e crise financeira trouxeram efeitos perversos da desigualdade nas classes mais baixas

Brasil/Mundo4 dias atrás

Bolsa Família pode ter reajuste de 50% ou mais, diz ministro

Valores passarão a ser pagos a partir de novembro

Brasil/Mundo5 dias atrás

“O povo vai reagir em 2022 se não tivermos uma eleição democrática”, diz Bolsonaro

O presidente tem defendido a aprovação do projeto de lei pelo voto impresso auditável

Brasil/Mundo5 dias atrás

Lei do Superendividamento favorece negociação e cobrança humanizada

Início das multas no contexto da Lei Geral de Proteção de Dados também deve frear a oferta de crédito a...