Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Fiuza chama ministro Celso de Mello de “falso democrata e personagem anedotário”

Publicado

em

O ministro Celso de Mello antecipa a sua aposentadoria no (STF) para o dia 13 de outubro / FOTO: Reprodução Internet

O ministro Celso de Mello antecipou a sua aposentadoria do Supremo Tribunal Federal (STF) para o dia 13 de outubro. O comunicado foi enviado ao presidente da Corte, ministro Luiz Fux, na tarde desta sexta-feira, 29. Mello, o mais velho dos membros do Supremo, iria se aposentar compulsoriamente em 1º de novembro, ao completar 75 anos de idade. Para Guilherme Fiuza, comentarista do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, Celso de Mello é um “personagem anedotário, falso democrata”. “Já vai tarde”, disse.

“É um homem que não tem apreço pela democracia. Se espalhou pelo STF um preconceito contra o atual presidente da República ou o grupo político que ele representa, e Celso é militante desse preconceito, que tem como motivo principal o não respeito ao resultado das urnas, que é a maior representação da democracia”, afirmou Fiuza. “Celso de Mello usou seu preconceito e falsa defesa a minorias. Os votos deles são ornamentais. O voto dele que durou dois dias sobre criminalização da homofobia foi patético, ele quis se mostrar como um militante da contracultura marchando em São Francisco a meio século atrás, é um pavão de Tatuí, personagem anedotário”, continuou.

Leia+Marco Aurélio ministro do STF vota favorável para que Bolsonaro faça depoimento por escrito

Celso de Mello determinou no último dia 11 que o presidente da República, Jair Bolsonaro, preste depoimento presencial sobre uma suposta interferência na Polícia Federal. Foi ele também que autorizou a divulgação do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril. “Já vai tarde, atrapalhou bastante, mas não o suficiente para deter a marcha democrática brasileira. Porém, está nesse inquérito tentando constranger o presidente a depor ao vivo, vazando aí de forma arbitrária reuniões de Estado, isso fica marcada. Uma tentativa conspiratória de fazer política por baixo da toga. Espero que agora venha alguém com vontade de julgar, porque com vontade de aparecer não precisa de mais ninguém”, finalizou Fiuza.

Fonte: Jovem Pan News

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo13 horas atrás

Governo de Rondônia proíbe ‘linguagem neutra’ nas escolas

Os professores e instituições poderão ser punidos se não obedecerem

Brasil/Mundo17 horas atrás

Moraes determina prisão preventiva e extradição de Allan dos Santos

Blogueiro bolsonarista é alvo do inquérito que apura a divulgação de notícias falsas

Brasil/Mundo19 horas atrás

Covid-19: 20 milhões de brasileiros estão com a segunda dose da vacina atrasada

Índice de pessoas completamente vacinadas contra a doença já teria passado dos 80% do público-alvo, caso não houvesse atraso na...

Brasil/Mundo2 dias atrás

Governo Federal anuncia o Auxílio Brasil de R$ 400 até o final de 2022

O número de beneficiários será ampliado em relação ao Bolsa Família e deve chegar a 16,9 milhões de famílias

Brasil/Mundo2 dias atrás

Inscrições para cursos gratuitos do Google encerram nessa sexta (22/10)

As capacitações são na área de tecnologia e começam nesse ano

Brasil/Mundo3 dias atrás

Censura: Instagram retira ‘recurso de links’ de perfis conservadores

Internautas falam de perseguição política e tentativa de censura

Brasil/Mundo4 dias atrás

Lego anuncia brinquedos sem gênero para influenciar crianças “contra o preconceito”

Para a marca, acabar com o “estereótipos nocivos” vai ajudar as crianças a não serem preconceituosas

Brasil/Mundo4 dias atrás

Por reclamarem de banheiro coletivo unissex, Joana Prado e Vitor Belford perdem patronício

A empresa foi pressionada por internautas para romper contrato com o casal; usuários da rede alegam de "transfobia"

Publicidade