Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Hábitos que surgiram na pandemia e podem gerar sofrimentos psíquicos como ansiedade e depressão

Psicóloga e professora da UniAvan dá dicas para identificar quando um hábito se torna uma síndrome, como tratar e como evitar essa situação

Publicado

em

A Ana* sempre gostou de manter a casa organizada, mas após a pandemia, ela ampliou o hábito e não deixa nada fora do lugar. O Osvaldo* lava as mãos a todo momento, mesmo que nem saia de casa. E a Juliana* se sente incomodada se tem que passar mais de uma hora fora de sua residência.

Esses são hábitos que foram potencializados no período da pandemia e podem representar algo a mais do que apenas novas atitudes e, se não observados, podem acarretar em sofrimentos psíquicos como ansiedade, depressão, síndrome do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). “Diante de uma situação anormal que é uma pandemia, raramente vivemos de modo normal. O que temos percebido é um aumento desse sofrimento psíquico, seja pela mudança do modo de vida, ou pelas perdas, ou experiências vivenciadas pelas pessoas”, explica a psicóloga Eliz Marine Wiggers, professora do curso de Psicologia da UniAvan.

A especialista explica que para identificar se uma mudança de hábito ‘fugiu do normal’ é necessário observar se a pessoa alterou significativamente seu modo de vida, teve alguma alteração no sono, tem evitado se relacionar com as pessoas, mesmo que de forma virtual, e se essas mudanças têm gerado algum tipo de sofrimento. “É importante de ser realizada essa identificação do que é ‘anormal’ ou de ‘risco’ de modo individual, pois cada pessoa tem pensamentos, sentimentos e percebe as mudanças de modo muito particular.  Deve ser avaliado por um profissional da saúde, como um psicólogo ou um psiquiatra”, complementa.

Os familiares e as pessoas próximas têm papel fundamental para auxiliar nessa percepção e no apoio ao paciente. “É importante perguntar se essa pessoa deseja a ajuda de um profissional, e se essa pessoa desejar, se dispor a acompanhá-la. É importante que nenhuma consideração de adoecimento ou patologia seja feita por algum familiar ou pessoa próxima, pois a escuta, o respeito e a disposição ao diálogo são sempre relevantes”, acrescenta a professora do Centro Universitário Avantis – UniAvan.

Caso o paciente receba o diagnóstico após a avaliação dos profissionais de saúde, é indicado tratamento com psicólogo. Dependendo da avaliação, para alguns casos, é indicado também o acompanhamento de médico psiquiatra e, se necessário, uso de medicamentos.

A profissional conta que é possível prevenir essa situação com atitudes cotidianas, como realizar atividades físicas de forma periódica, ter uma alimentação saudável, fazer atividades que lhe tragam bem-estar com mais frequência, estimular uma boa rotina de sono e manter vínculos de relacionamento, mesmo que virtuais. “Atitudes simples que, se agregadas ao dia a dia, fazem toda a diferença e só trazem qualidade de vida”, finaliza.

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo5 horas atrás

Livro baseado em fatos reais conta histórias sobre sonhos de crianças

Já dizia o dramaturgo e poeta inglês William Shakespeare: “Somos do mesmo material do que se tecem os sonhos, nossa...

Brasil/Mundo1 dia atrás

Seleção Russa bem-sucedida para a Copa do Mundo de 2022

Há vários fatores óbvios no desempenho bem sucedido da equipe

Brasil/Mundo1 dia atrás

“Foi a própria Exame que falou da relação de HIV com vacina”, diz Bolsonaro

Durante live no Facebook, Bolsonaro leu uma reportagem internacional sobre esse mesmo assunto e foi acusado de propagar notícia falsa

Brasil/Mundo2 dias atrás

Jogador do Cuiabá, diz que homossexualidade ‘é pecado’ e ‘leva à condenação’

Cristão, o atleta passou a se acusado de homofobia

Brasil/Mundo2 dias atrás

Ministro da Justiça pedirá extradição de Allan dos Santos

Torres revelou que setores da Interpol não reconhecem o pedido, pois não há crime de opinião

Brasil/Mundo4 dias atrás

Motivação de estudantes aumentou com retorno das aulas presenciais, diz pesquisa

Na opinião de pais, 87% dos filhos que frequentam as aulas presenciais se sentem mais animados

Brasil/Mundo5 dias atrás

Governo de Rondônia proíbe ‘linguagem neutra’ nas escolas

Os professores e instituições poderão ser punidos se não obedecerem

Brasil/Mundo5 dias atrás

Moraes determina prisão preventiva e extradição de Allan dos Santos

Blogueiro bolsonarista é alvo do inquérito que apura a divulgação de notícias falsas

Publicidade