Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Israel corta US$6 mi em fundos para a ONU após resolução

Publicado

em

Israel: a missão israelense disse que irá adiante com novas iniciativas com o objetivo de encerrar as atividades anti-Israel nas Nações Unidas depois que Trump tomar posse (Baz Ratner/Reuters)

 Israel anunciou nesta sexta-feira que cortará 6 milhões de dólares em fundos para a Organização das Nações Unidas (ONU) em 2017, em protesto contra uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que exige o fim da construção de assentamentos em território que os palestinos querem para um Estado independente.

Os Estados Unidos se abstiveram da votação do dia 23 de dezembro, permitindo que o conselho de 15 membros adotasse a resolução com 14 votos favoráveis.

Israel e o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, haviam pedido que Washington exercesse seu poder de veto.

A missão de Israel na ONU disse que o financiamento será cortado para órgãos das Nações Unidas que descreve como “anti-Israel”, incluindo o Comitê para o Exercício de Direitos Inalienáveis do Povo Palestino e a Divisão para Direitos Palestinos.

“Não é razoável para Israel financiar organismos que operam contra nós na ONU”, disse o embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon, em comunicado.

“A ONU tem de acabar com a absurda realidade em que apoia órgãos cuja única intenção é disseminar a incitação e a propaganda anti-Israel.”

A missão israelense disse que irá adiante com novas iniciativas com o objetivo de encerrar as atividades anti-Israel nas Nações Unidas depois que Trump tomar posse em 20 de janeiro.

Os palestinos querem estabelecer um Estado independente na Cisjordânia, Gaza e Jerusalém Oriental, áreas que Israel capturou em uma guerra em 1967.

A maioria dos países e a ONU veem os assentamentos israelenses na Cisjordânia como ilegais e um obstáculo para a paz.

Israel contesta a ideia de que os assentamentos são ilegais e afirma que o status final desses locais deve ser determinado em quaisquer negociações futuras sobre um Estado palestino.

A última rodada de negociações entre israelenses e palestinos patrocinada pelos Estados Unidos fracassou em 2014.

A última vez que o Conselho de Segurança havia adotado uma resolução crítica aos assentamentos foi em 1979, com os EUA também se abstendo. Com informações Exame

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo2 dias atrás

Motivação de estudantes aumentou com retorno das aulas presenciais, diz pesquisa

Na opinião de pais, 87% dos filhos que frequentam as aulas presenciais se sentem mais animados

Brasil/Mundo2 dias atrás

Governo de Rondônia proíbe ‘linguagem neutra’ nas escolas

Os professores e instituições poderão ser punidos se não obedecerem

Brasil/Mundo3 dias atrás

Moraes determina prisão preventiva e extradição de Allan dos Santos

Blogueiro bolsonarista é alvo do inquérito que apura a divulgação de notícias falsas

Brasil/Mundo3 dias atrás

Covid-19: 20 milhões de brasileiros estão com a segunda dose da vacina atrasada

Índice de pessoas completamente vacinadas contra a doença já teria passado dos 80% do público-alvo, caso não houvesse atraso na...

Brasil/Mundo4 dias atrás

Governo Federal anuncia o Auxílio Brasil de R$ 400 até o final de 2022

O número de beneficiários será ampliado em relação ao Bolsa Família e deve chegar a 16,9 milhões de famílias

Brasil/Mundo4 dias atrás

Inscrições para cursos gratuitos do Google encerram nessa sexta (22/10)

As capacitações são na área de tecnologia e começam nesse ano

Brasil/Mundo5 dias atrás

Censura: Instagram retira ‘recurso de links’ de perfis conservadores

Internautas falam de perseguição política e tentativa de censura

Brasil/Mundo6 dias atrás

Lego anuncia brinquedos sem gênero para influenciar crianças “contra o preconceito”

Para a marca, acabar com o “estereótipos nocivos” vai ajudar as crianças a não serem preconceituosas

Publicidade