Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Brasil/Mundo

Levantadora de pesos diz que a presença de atletas trans tornará o jogo olímpico “injusto”

Laurel Hubbard já competia nos campeonatos masculinos até que em 2013 se tornou mulher trans

Publicado

em

O levantador de peso da Nova Zelândia, Laurel Hubbard, já competia no time masculino até que em 2013 resolveu se assumir como mulher.

Agora como atleta transgênero, Hubbard deve ser classificada para o time feminino das Olimpíadas de Tóquio e isso tem levado as atletas a acharem que o jogo estará injusto.

Os padrões do Comitê Olímpico Internacional (COI) permitem que atletas que “se sentem” mulheres competam em eventos femininos se seu nível de testosterona sérica permanecer abaixo de 10 nanomoles por litro por 12 meses. Hubbard atendeu a esse padrão. No entanto, a levantadora de peso Anna Vanbellinghen da Bélgica critica o COI e afirma que o passado de Hubbard competindo em eventos de levantamento de peso masculino deve ser motivo para desqualificação.

“Em primeiro lugar, gostaria de sublinhar que apoio totalmente a comunidade transgênero e que o que vou dizer não vem de um lugar de rejeição da identidade deste atleta”, disse Vanbellinghen ao Inside the Games. “Estou ciente de que definir um marco legal para a participação de transexuais no esporte é muito difícil, pois as situações são infinitas, e que chegar a uma solução totalmente satisfatória, de qualquer lado do debate, provavelmente é impossível”.

“No entanto, qualquer pessoa que tenha treinado levantamento de peso em alto nível sabe que isso é verdade: esta situação em particular é injusta para o esporte e para os atletas”, disse ela.

Vanbellinghen traçou um paralelo com os esteroides, observando que eles têm um impacto nos atletas muitos anos após o uso.

Com informações EvangelicoDigital.

 

PUBLICIDADE