Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Tocantins

Na contramão do Ministério da Saúde, COSEMS-T0 mantém vacinação para adolescentes de 17 a 12 anos

O Conselho diz que inúmeras ações de promoção da vacinação foram canceladas nos municípios, causando prejuízos

Publicado

em

Em nota enviada à imprensa, o Conselho de Secretarias Municipais do Estado do Tocantins (COSEMS-TO) declara que os 139 municípios do estado deverão manter a vacinação para adolescentes entre 17 e 12 anos.

O texto é uma resposta à decisão do Ministério da Saúde que determinou a suspensão da vacinação para essa faixa etária devido aos números de reações adversas.

Foram mais de 1.500 casos em todo o país, sem contar os números do Estado de São Paulo que não foram divulgados pelo governo estadual. Foi em São Paul, inclusive, que foi registrada a morte de uma jovem de 16 anos moradora da cidade de São Bernardo do Campo.

Na nota, porém, o COSEMS-TO chama a decisão do Ministério da Saúde de unilateral e lamenta que as secretarias estaduais não tenham sido consultadas sobre esta questão.

Leia a nota na íntegra:

O COSEMS-TO informa a todas as 139 Secretarias Municipais de Saúde que respeita o posicionamento divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) de seguir a orientação do Ministério da Saúde em restringir a vacinação apenas para adolescentes de 12 a 17 anos que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

Entretanto, o Conselho afirma que:

1. Considerando o posicionamento do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass), que representa todas as Secretarias de Estado da Saúde do Brasil.

2. Considerando o posicionamento do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, que representa as Gestões de Saúde Municipais.

O COSEMS-TO defende a continuidade da vacinação para a devida proteção da população jovem, sem desconsiderar a necessidade de priorizar neste momento, dentre os adolescentes, aqueles com comorbidade, deficiência permanente e em situação de vulnerabilidade.

Ao afirmar nosso posicionamento, aproveitamos a oportunidade para manifestar nossa solidariedade aos Secretários e Secretárias Municipais de Saúde do Tocantins e suas respectivas equipes, que foram pegos de surpresa com essa decisão unilateral do Ministério da Saúde. Inúmeras ações de promoção da vacinação foram canceladas nos municípios, causando prejuízos não só financeiros, mas também de conscientização da população. Transtornos diversos foram ocasionados na ponta, após a divulgação de orientações sem qualquer consulta prévia às representações estaduais e municipais da gestão do Sistema Único de Saúde.

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo50 minutos atrás

Jogador de vôlei que criticou Superman bissexual é afastado do Minas Clube

Pressão de internautas foi decisiva para que patrocinadores ameaçassem o clube

Brasil/Mundo6 horas atrás

Livro baseado em fatos reais conta histórias sobre sonhos de crianças

Já dizia o dramaturgo e poeta inglês William Shakespeare: “Somos do mesmo material do que se tecem os sonhos, nossa...

Brasil/Mundo1 dia atrás

Seleção Russa bem-sucedida para a Copa do Mundo de 2022

Há vários fatores óbvios no desempenho bem sucedido da equipe

Brasil/Mundo1 dia atrás

“Foi a própria Exame que falou da relação de HIV com vacina”, diz Bolsonaro

Durante live no Facebook, Bolsonaro leu uma reportagem internacional sobre esse mesmo assunto e foi acusado de propagar notícia falsa

Brasil/Mundo2 dias atrás

Jogador do Cuiabá, diz que homossexualidade ‘é pecado’ e ‘leva à condenação’

Cristão, o atleta passou a se acusado de homofobia

Brasil/Mundo2 dias atrás

Ministro da Justiça pedirá extradição de Allan dos Santos

Torres revelou que setores da Interpol não reconhecem o pedido, pois não há crime de opinião

Brasil/Mundo4 dias atrás

Motivação de estudantes aumentou com retorno das aulas presenciais, diz pesquisa

Na opinião de pais, 87% dos filhos que frequentam as aulas presenciais se sentem mais animados

Brasil/Mundo5 dias atrás

Governo de Rondônia proíbe ‘linguagem neutra’ nas escolas

Os professores e instituições poderão ser punidos se não obedecerem

Publicidade