Gospel

ANAJURE condena atitude de pastor que quebrou oferendas em Belford Roxo

Por Ricardo Costa

Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) se pronunciou sobe o incidente em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, envolvendo o pastor Gledson Lima que aparece em um vídeo quebrando algumas oferendas religiosas deixadas por adeptos do candomblé. O caso aconteceu no último domingo (07) e ganhou repercussão nacional.

Segundo o pastor Gledson Lima, a destruição das oferendas teria sido motivada pela colocação dos objetos em área próxima a um sítio do líder evangélico. No entanto, o babalorixá Natan, por sua vez, alegou que as oferendas estavam no alto de uma colina, a cerca de 500 metros da propriedade do pastor. O ocorrido foi denunciado à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) e a Polícia Civil informou que apurará o caso.

Segundo a ANAJURE, é mportante mencionar a proteção constitucional conferida à liberdade religiosa, nos termos do art. 5º, inciso VI, CF/88:

“é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias”.

A entidade ainda citou texto da lei que aborda os crimes por motivo de crença ou função religiosa, que possuem pena de detenção de de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa, e ainda afirmou que,  a liberdade religiosa é um direito fundamental intimamente conectado à dignidade da pessoa humana e repudiou a destruição de símbolos de qualquer matriz religiosa, e destacou que seguirá acompanhando o caso; oficiará a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), solicitando apuração do caso e o esclarecimento das circunstâncias do ocorrido.

Saiba + Pastor destrói oferendas e caso vai parar na polícia; qual a sua opinião?