Destaque

Após sofrer ataques covardes, Bolsonaro dispara contra Dória: "moleque" e "sem moral": "Vira homem"

"Estamos fazendo todo o possível em Manaus apesar de o Supremo Tribunal Federal ter me proibido", disse o presidente

O presidente Jair Bolsonaro rebateu as críticas covardes, disparadas pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). A entrevista foi concedida ao Brasil Urgente na tarde desta sexta-feira (15), ao programa do Datena. Na ocasião, Bolsonaro chamou o líder do Executivo paulista de “moleque”, “irresponsável” e “morto politicamente”.

“É hora de nos unirmos pelo bem e para o bem. Tem pessoas morrendo em Manaus por asfixia! Em abril, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o presidente não poderia interferir em estados e municípios sobre ações da covid-19. Ponto final! O que nós fizemos ao longo desse tempo todo? Ajudamos com recursos. E muitos (…)! Estamos fazendo todo o possível em Manaus apesar de o STF ter me proibido. Isso é um discursinho de um governador que durante a pandemia aumentou assustadoramente o ICMS de tudo. Não tem moral para falar de ninguém! Não quero entrar em polêmica, mas esse cara se elegeu com meu nome. Não deu dois meses e começou a me atacar de olho na cadeira presidencial. Ele que cuide da vida dele em São Paulo que eu cuido do Brasil. Se não tem o que fazer, não nos atrapalhe”, disse o presidente.

“Ele fechou São Paulo e foi para Miami! Ele se perdeu completamente por ambição. Essa passagem por São Paulo é o último capítulo da vida política dele (…). Calcinha apertada… seja homem! É duro mexer com quem tem um comportamento como ele. Nada contra a opção, mas é duro trabalhar com quem tem esse tipo de opção. Medíocre. Ele não sai na rua. Se sair vai ser linchado”, completou Bolsonaro.

 

Com informações Blog do Datena