Brasil

Auxílio Emergencial pode ter novo nome e oferecer benefício de R$200

Guedes precisa do apoio do Congresso para poder implantar o novo programa

 

Para o governo federal não é viável manter o Auxílio Emergencial no valor de R$ 600. Por isso, a equipe econômica do país, coordenada pelo ministro Paulo Guedes, deve lançar um novo programa de distribuição de renda emergencial em razão da pandemia.

O programa deve ganhar um novo nome e o valor a ser pago será reduzido para R$ 200, menor do que as últimas parcelas de R$ 300 que foram pagas nos últimos três meses.

Uma das ideias da equipe é que o programa se chame “Bônus de Inclusão Produtiva”, já apelidado nos bastidores de “BIP”. 

A quantidade de pessoas quer receberão o benefício também deve cair, dos 64 milhões de beneficiários do Auxílio Emergencial, apenas  30 milhões de brasileiros receberiam o novo programa.

Mas para poder colocar o projeto em andamento, Guedes quer que o Congresso aprove antes uma “cláusula de calamidade” junto à chamada PEC do Pacto Federativo, para permitir que as despesas fiquem fora do teto de gastos.