Brasil

Bolsonaro promete "colocar o dedo" para reduzir a conta de energia

O presidente Jair Bolsonaro informou que vai “meter o dedo na energia elétrica" e já começou a conversar com a equipe do Ministério da Economia para reduzir as taxas de energia.

A promessa foi feita um dia depois de ter anunciado a troca de presidência na Petrobras.

“Assim como eu dizia que queriam me derrubar na pandemia pela economia fechando tudo, agora resolveram me atacar na energia”, disse Bolsonaro a apoiadores em Brasília.

A ideia é usar R$ 70 bilhões de um fundo setorial e tributos federais para reduzir tarifas.

Assessores do Planalto afirmam que uma das propostas para conter a alta é a destinação de R$ 20 bilhões pelo governo para a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) —fundo setorial financiado por consumidores para criar políticas públicas, como redução de tarifas, especialmente para os mais pobres.