Destaque

Cantora gospel será investigada pelo MPF por discordar da união sexual entre dois homens

Vídeo de Ana Paula Valadão viraliza na internet do Congresso Diante do Trono em 2016

 A cantora evangélica Ana Paula Valadão, líder do Diante do Trono, será investigada pelo crime de homofobia. As denúncias foram aceitas pelo Ministério Público Federal no dia 17 de novembro de 2020 pelo procurador Helder Magno da Silva, ao afirma que:

 “A Bíblia chama de qualquer opção contrária ao que Deus determinou, de pecado. E o pecado tem uma consequência que é a morte. Taí a aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte e contamina as mulheres", disse Ana Paula Valadão.

Saiba + Pastora desabafa após roubo: "Nem a casa do Senhor estão respeitando"

Saiba + Flordelis tinha objetos para rituais de magia negra em casa. afirma testemunha

O vídeo da cantora é de 2016, durante a realização de Congresso Diante do Trono no ano de 2016,mais, só viralizado recentemente na internet.

As apurações serão feitas caso houver conduta discriminatória de discurso de ódio contra pessoas portadoras do vírus do HIV.

Para justicar a abertura do inquérito, o MPF disse que as falas da cantora são baseadas na desinformação. “Remonta à década de 1980 a narrativa da AIDS como “doença/câncer/peste gay” ou mesmo “castigo de Deus”, que se baseava na desinformação sobre o vírus e desconhecimento sobre a doença; tal concepção, inclusive, foi há muito superada pelo conhecimento médico-cientíco.”

A Igreja Batista da Lagoinha disse em nota que a marca da denominação “é ser bíblica e ter como maior referencial a pessoa de Jesus Cristo, que recebia todas as pessoas sem distinção”. Por conta disso, as portas da igreja “estão abertas para que todas as pessoas participem de nossos cultos de pregação das Sagradas Escrituras”.

Saiba + Parceria da Fundação Roberto Marinho e Google disponibiliza material para aulas remotas