Destaque

Críticos desejam a morte do presidente e antropólogo questiona: "AGU vai tomar providências?"

Redação JM Notícia

Desde a noite desta segunda-feira (6), quando o presidente Jair Bolsonaro informou que havia feito teste para covid-19 após ter febre de 38°, vários internautas contrários a ele fizeram comentários nas redes sociais desejando sua morte.

Com a confirmação de que realmente o presidente está infectado pelo novo coronavírus na manhã desta terça (7), as mensagens de ódio contra o presidente se intensificaram.

Saiba + Presidente Jair Bolsonaro testa positivo para Covid-19

Várias mensagens no Twitter desejam força para o vírus, ao mesmo tempo que internautas diziam que iriam comemorar e dar festa, caso o pior acontecesse com o presidente.

Diante deste cenário, o antropólogo Flávio Gordon escreveu no microblog que a Advogacia-Geral da União (AGU) deve agir contra esses usuários da mesma forma que o Supremo Tribunal Federal (STF) tem agido com seus críticos.

"Se chamar o STF de vergonha nacional - coisa que ele é de fato - equivale a um ataque às instituições democráticas, publicar uma coluna desejando abertamente a morte do Presidente da República é o que? Será que o mosca morta do AGU vai tomar providências?", questionou Gordon.

O STF abriu um processo, investigou e mandou prender alguns usuários das redes sociais que fizeram críticas aos seus ministros, usando hashtag como #STFvergonhanacional em suas publicações.