Coluna Social

Faltou ao Enem? Pedidos para reaplicação do exame podem ser feitos a partir de hoje (25)

Direito é dado a inscritos acometidos por doenças ou que tiveram problemas logísticos nos dias das provas

Estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que não puderam fazer as provas do primeiro ou segundo dia por motivo de doença ou problemas logísticos podem solicitar a reaplicação do exame a partir de hoje (25). O sistema ficará aberto até o dia 29 para atender essas solicitações. 

As provas da versão impressa do Enem foram aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro. Nas semanas que antecederam as aplicações, os candidatos puderam enviar, através da Página do Participante, os exames e laudos médicos que comprovam a doença. Aqueles que ainda não o fizeram poderão, agora, acessar o sistema on-line. As provas da reaplicação serão nos dias 23 e 24 de fevereiro. 

Além da Covid-19, podem solicitar a reaplicação participantes com coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para a análise da possibilidade de reaplicação, o estudante deve inserir, obrigatoriamente, documentos legíveis para a comprovação da doença.

Na documentação deve constar o nome completo, diagnóstico da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Além dos participantes acometidos com alguma doença, estudantes que foram prejudicados por problemas logísticos também podem solicitar a reaplicação. O edital do Enem considera como problemas logísticos: desastres naturais que comprometam a infraestrutura e que prejudiquem a aplicação, falta de energia elétrica, falha no dispositivo eletrônico fornecido ao participante que solicitou uso de leitor de tela ou erro de execução de procedimento de aplicação que incorra em comprovado prejuízo ao participante.

No primeiro dia de aplicação, participantes foram impedidos de fazer o exame por causa da lotação dos locais de prova. Devido à pandemia do novo coronavírus, as salas deveriam ter até metade da lotação máxima. Em alguns locais, não foi possível acomodar os inscritos. De acordo com o Inep, esses casos foram relatados em pelo menos 11 locais de prova em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Londrina (PR), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Canoas (RS). 

Também terão direito à reaplicação os 160.548 estudantes que fariam a prova no estado do Amazonas, 2.863 em Rolim de Moura (RO) e 969 em Espigão D'Oeste (RO). O exame foi suspenso por causa dos impactos da pandemia nessas localidades. Ao todo, segundo o Ministério da Educação, foram quase 20 ações judiciais em todo o país contrárias à realização do Enem.  

Os pedidos de reaplicação serão analisados pelo Inep. A aprovação ou a reprovação do pedido de reaplicação deverá ser consultada também na Página do Participante. Os candidatos também podem entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800 616161. O Órgão recomenda, no entanto, que os candidatos façam a solicitação pela internet. 

Os candidatos podem usar as notas do Enem para concorrer a vagas no ensino superior, por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições privadas. 

Leia também: Agenda Transgênero: Joe Biden assina Ordem Executiva e e fala em banheiro para crianças

Leia também: Três evangélicos disputam nos bastidores vaga que será aberta no STF em julho; veja quem são

 

* Com informações da Agência Brasil

Fonte: Agência Educa Mais Brasil