Guerra na Síria completa 9 anos

#GUERRAS: ‘Damasco deixará de ser cidade; e se tornará um monte de ruínas. Suas cidades serão abandonadas; serão entregues aos rebanhos que ali se deitarão, e ninguém os espantará’”.Isaías 17.1-3
Destaque

Hoje a guerra na Síria completa 9 anos. Em circunstâncias de guerra é difícil saber quais incidentes são motivados por questões religiosas ou não. Porém, cristãos na Síria são muito afetados por falta de abrigo, que os deixa extremamente vulneráveis e sem proteção. Além da segurança, eles destacam a dificuldade em suprir as necessidades básicas e conseguir trabalho.

Em 2014, quando a guerra já tinha 3 anos de seu início, o grupo radical muçulmano, Estado Islâmico (EI) estabeleceu seu califado em grande parte da Síria, aproveitando da vulnerabilidade do país e de combatentes sírios que buscavam ajuda estrangeira.

Antes da guerra civil, cristãos costumavam ter certa liberdade religiosa, mas isso mudou com a chegada de grupos islâmicos militantes. O medo entre cristãos está em um nível alto principalmente devido a ameaças, intimidações e sequestros conduzidos pelos grupos.

Por conta disso, a maioria dos cristãos fugiu das áreas controladas pelo Estado Islâmico. Também houve incidentes em que cristãos foram feridos e suas propriedades danificadas por conflitos entre governo e forças rebeldes.

Entenda a Guerra na Síria

Mesmo com toda a repercussão da mídia mundial, muitos ainda não sabem por que esta guerra começou. Grande parte da população síria se queixava sobre desemprego, corrupção e falta de liberdade política sob a presidência de Bashar al-Assad. Então, em março de 2011, manifestações pro-democracia surgiram inspiradas na Primavera Árabe dos países vizinhos. O povo exigia reformas radicais no governo sírio, porém não obteve resposta.

Então, uma ação militar foi realizada contra quem protestava, levando a oposição a buscar ajuda de governos estrangeiros. A batalha atraiu combatentes jihadistas estrangeiros e, como o Estado Islâmico, que invadiu grande parte do país e estabeleceu seu califado.

Entretanto, em 2016 e 2017, o EI perdeu a maior parte do seu território devido à intervenção militar do Ocidente e da Rússia. Em março de 2018, cerca de 25 mil combatentes do Exército Livre da Síria estiveram com tropas e forças especiais turcas que retomaram o controle de áreas e forçaram a saída dos rebeldes. Apesar disso, a guerra ainda não acabou.

Como vivem os cristãos que ainda estão no país

Na próxima matéria, você vai conhecer cristãos que não desistiram de seu país, mas foram expulsos de suas casas, cidades e contam com a solidariedade de irmãos de todo o mundo.

Para saber mais sobre os cristãos perseguidos na Síria, acesse o perfil do país na Lista Mundial da Perseguição

Se você quiser participar da vida desses cristãos e saber como ajudar, acesse a campanha Ajuda Emergencial para a Síria.

(Com Portas Abertas)