Morre voluntário dos testes da vacina de Oxford no Brasil

Redação JM Notícia

Texto atualizado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária foi comunicada da morte de um dos voluntários dos testes da vacina para covid-19 desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, na Inglaterra.

O comunicado da morte chegou para o órgão na segunda-feira (19), mas apenas nesta quarta a Anvisa informou a imprensa sobre o ocorrido.

Saiba + Bolsonaro se opõe à compra da vacina chinesa: “O povo brasileiro não será cobaia”

O nome da vítima é João Pedro Rodrigues Feitosa, de 28 anos, um médico que foi voluntário nos testes clínicos da vacina. Segundo informações da revista Veja, ele recebeu um medicamento placebo, sem o imunizante contra Covid-19.

Mesmo com a morte, a Anvisa afirmou que o processo segue em avaliação, mas que um comitê internacional de segurança sugeriu o prosseguimento do estudo no país.

A vacina de Oxford tem seus testes no Brasil sendo coordenados pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Até o momento mais de 8.000 pessoas já receberam doses relacionadas ao estudo.