Oposição estuda impeachment se Bolsonaro não comprar vacina

Redação JM Notícia

Se o presidente Jair Bolsonaro não confirmar a compra da vacina do Instituto Butantan, ele poderá sofrer um processo de impeachment. É isso que ameaça o partido Cidadania (antigo PPS).

A sigla, que faz oposição ao Governo Bolsonaro, ameaça entrar com pedido de impeachment caso o presidente mantenha sua palavra de não autorizar que o Ministério da Saúde compre as 46 milhões de doses da vacina.

Esta semana o ministro Eduardo Pazzuelo conversou com governadores e garantiu a compra da vacina produzida por um laboratório chinês que será fabricada pelo Instituto Butantan, ligado ao Governo do Estado de São Paulo.

Saiba + Bolsonaro se opõe à compra da vacina chinesa: “O povo brasileiro não será cobaia”

No dia seguinte, Bolsonaro declarou que o povo brasileiro não será cobaia de nenhuma vacina que não tenha comprovação científica de sua eficácia e que não tenha passado por aprovação da Anvisa.

O Cidadania entende que, se for comprovado que realmente a vacina pode imunizar a população do novo coronavírus, a atitude do presidente poderá ser caracterizada como crime de responsabilidade ou até mesmo crime comum.

Saiba + Katia Abreu emite nota em favor da vacina contra Covid-19

"Crime de responsabilidade, durante ainda o curto mandato do presidente, tem a granel. Se essa vacina for atestada do ponto de vista científico como eficaz e ele tentar impedir, não é nem crime de responsabilidade, é crime comum para ser processado por atentado à saúde e à vida dos brasileiros", afirmou o presidente do Cidadania, Roberto Freire.