Gospel

Padre é afastado por convidar pastor para missa de Cinzas

Pastor faz parte da Igreja Presbiteriana Unida que faz parte do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil e participa da 5ª Campanha da Fraternidade da CNBB

A Diocese de Jundiaí (SP) afastou um padre da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, no bairro Colônia, e abriu investigação contra ele por ter convidado um pastor para a celebração da missa de Cinzas.

O padre José Carlos Pedrini foi quem convidou o pastor evangélico Francisco Leite, da Igreja Presbiteriana Unida (IPU) de Jundiaí, e juntos fizeram a missa da última quarta-feira (17).

"Eu dei a saudação, falei sobre a campanha da fraternidade ecumênica e fui muito bem acolhido. Depois disso, surgiu algo que a gente entende ser desproporcional, mas não quero me aprofundar sobre o assunto", disse o pastor ao G1.

A IPU faz parte do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil e participa da 5ª Campanha da Fraternidade realizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Mas a participação do pastor na missa gerou uma grande polêmica e o caso foi enviado para a Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma, a fim de que nos seja indicado qual o caminho a seguir, como explicou a Diocese.

O bispo Dom Vicente Costa disse que a missa com a presença de um pastor aconteceu sem o seu conhecimento e consentimento. "Portanto, as devidas medidas canônicas administrativas cabiveis a este caso já estão sendo tomadas", diz a nota.

O pastor lamentou o ocorrido. "Lamento por tudo isso. A Igreja Presbiteriana Unida de Jundiaí, na qual sou pastor, é uma igreja ecumênica por natureza. Nós pregamos a mensagem do ecumenismo, o respeito e a tolerância", afirma.