Destaque

Pastor Davi Goés se pronuncia sobre vídeo da vacina do coronavírus

"Inicialmente, destacamos que tal afirmativa não condiz com a conduta praticada pelo Pr. Davi Goes"

Depois da repercussão do vídeo do pastor evangélico Davi Goés, do Ministério Canaã da Assembleia de Deus, em Fortaleza, no qual o religioso comenta sobre a vacina do coronavírus a partir do ponto de vista de um cientista, a assessoria jurídica do líder evangélico nos enviou uma nota de esclarecimento. Na explanação, eles asseveram que a conduta de Davi é irrepreensível. Destacam também que houve interpretações deturpadas acerca do vídeo.

“Inicialmente, destacamos que tal afirmativa não condiz com a conduta praticada pelo
Pr. Davi Goes. Vejamos: em culto ministrado na igreja na qual já pastoreia pelo período de 10 anos, mais precisamente na data de 19 de novembro do presente ano, realizando estudos escatológicos da Bíblia, ele cita matéria científica vinculada em alguns portais e canais de vídeo da internet na qual o autor Lamartine Posella tece comentários sobre fala de cientista francês que se pronunciou nesse sentido. Além dessa matéria, o Pr. Davi Goes também embasou seu comentário em entrevista divulgada pelo cientista francês Luc Montagnier, ganhador do Nobel de Medicina, publicada na revista ISTOÉ sob o título: “novo coronavírus foi frabricado acidentalmente em laboratório chinês, diz descobridor do HIV.”

 

“Desta feita, percebe-se que os comentários do Pr. Davi Goes foram feitos tomando
como supedâneo reportagens de cientistas vinculadas em grandes meios de comunicação nacional. Não se pode atribuir a ele a autoria de tais notícias. Ao apresentar estas informações aos membros da igreja durante o culto, o Pastor fazendo uso de seu direito constitucional de liberdade de expressão emitiu sua opinião pessoal, cabendo a cada um dos membros analisar e ponderar as informações repassadas, inclusive as científicas. Pensar de maneira diversa seria subjugar a capacidade de entendimento dos ouvintes da pregação”,
 afirmaram em nota.

 

Por fim, a assessoria de Davi reafirmou que o vídeo se tratou de um recorte de uma pregação de 40 minutos;

“O recorte do vídeo em apenas um pequeno trecho dissociado de sua grande parte,
essa de aproximadamente 40 minutos, realizado de maneira maldosa, assemelhando-se a Fake News, acaba por desvirtuar sua finalidade, tirando do contexto sua fala e conduta, que sempre primou pelo zelo com a sociedade e segurança de todos. Em sua trajetória como pregador do evangelho não há sequer uma conduta que possa desabonar a vida do Pr. Davi Goes, que infelizmente vem sofrendo juntamente com sua família infundados ataques odiosos”.

Ministério Público

Após a fala do pastor  Goés, o Centros e promotorias do Ministério Público do Ceará (MPCE) solicitaram nessa terça-feira (15/12) que o pastor seja responsabilizado civil e criminalmente por disseminar notícias falsas sobre a vacina chinesa.

De acordo com o MPCE, o líder religioso feriu a lei de contravenções penais sobre provocar alarde, anunciar desastre ou perigo inexistente, praticar ato capaz de produzir pânico ou tumulto. Além disso, ele descumpriu uma lei estadual que responsabiliza quem dissemina notícias falsas relativas à pandemia de COVID-19, regulamentada em maio deste ano.