Pesquisa de Saúde: Recusas de moradores atrapalham levantamentos estatísticos do IBGE, em Palmas

Desde o dia 26 de agosto de 2019 servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) coletam dados, em todo país, da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). Em Palmas, todos os 864 domicílios selecionados já foram visitados. Entretanto, 90 permanecem inacessíveis porque os moradores não foram encontrados ou se recusaram a responder o questionário. Também há casos em que a entrada dos pesquisadores ao condomínio foi impedida pelo síndico ou porteiro.

De acordo com a coordenação da PNS no Tocantins, a dificuldade de acesso a esses domicílios têm atrapalhado os levantamentos estatísticos do Instituto e atrasado a conclusão da pesquisa. O encerramento da coleta que estava previsto para final de fevereiro já teve que ser adiado para o dia 10 de março, comprometendo todo o cronograma.

O IBGE destaca que a PNS visa avaliar o estado de saúde da população brasileira, além de medir a incidência das doenças crônicas, que estão entre as causas de mortalidade mais frequentes do país, por isso, pede que os moradores selecionados, síndicos e porteiros recebam os agentes de pesquisa.

É importante ressaltar que todas as informações coletadas pela PNS têm sua confidencialidade garantida pela lei do sigilo da informação estatística (Lei nº 5534) e só podem ser utilizadas para fins estatísticos. Além disso, o IBGE informa que todos os agentes de pesquisa são identificados com crachá e usam equipamento eletrônico de coleta de dados (computador de mão). Qualquer dúvida, os moradores poderão confirmar a identidade do entrevistador em ligação telefônica gratuita para 0800-721-8181.

Entenda a PNS
Realizada em convênio com o Ministério da Saúde e em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a PNS investiga a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis e quantifica a população com incapacidades físicas. Outros indicadores importantes são relativos ao estilo de vida (sedentarismo, tabagismo, dieta, consumo de álcool) e à saúde bucal. A PNS também investiga se os moradores sofreram algum tipo de violência e monitora a realização de exames preventivos, além de avaliar a percepção da população sobre o Sistema Único de Saúde (SUS).

A PNS 2019 adicionou temas novos aos que foram investigados na edição que foi a campo em 2013. Algumas dessas inovações são: módulos de questões sobre paternidade e exames pré-natal, direcionado aos homens; sobre atividade sexual, que será aplicado aos moradores maiores de 18 anos; sobre relações e condições de trabalho, que segue as recomendações da OIT, com perguntas para detectar condições insalubres no ambiente de trabalho, além de problemas de saúde relacionados.

A primeira parte do questionário capta informações de todos os moradores.  Na segunda parte, um morador de 15 anos ou mais de idade será selecionado para responder um conjunto específico de perguntas e ter seus dados antropométricos – peso e altura – coletados. Conforme o cronograma da PNS, os primeiros resultados estão previstos para serem divulgados em 2021.