Porto Nacional recebe 600 unidades habitacionais do Ministério das Cidades

Prefeito Joaquim Maia se encontra com ministro das Cidades, Alexandre Baldi (Foto: Divulgação)
Tocantins

Da Redação JM Notícia

O prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia, comemorou nesta quarta-feira (28) a publicação de portaria do Ministério das Cidades, contemplando o Setor Imperial, com 600 unidades habitacionais, o maior projeto habitacional da história de Porto Nacional.

Essa conquista é fruto do empenho do prefeito que, durante um ano inteiro, realizou uma verdadeira maratona em ministérios e gabinetes de Brasília buscando recursos para a cidade.

Maia desta que o Setor Imperial foi o bairro escolhido desde o início, como contrapartida do Município, em função da grande dimensão e baixa população. “Agora, teremos uma comunidade de 600 famílias que a elas, agregarão comércio e outros equipamentos públicos, favorecendo a implantação de infraestrutura e urbanização adequadas, que tanto lutamos", disse.

Além desse projeto,  há outros planos municipais habitacionais já protocolados em Brasília. Maia enfatiza esses , agradecendo aos deputados e senadores que o auxiliaram na Capital Federal.

MInistro das Cidades e Prefeito Alexandre Baldi e Joaquim Maia e Flávia Ayres

Déficit

Segundo a secretária Municipal da Habitação, Flávia Halum Ayres, Porto Nacional tem o segundo maior déficit habitacional do Tocantins. “Essa carência foi observada pelo prefeito Joaquim Maia que, desde o início da gestão, nos orientou a desenvolver projetos que contemplassem as mais de 2.000 famílias que sofrem com o aluguel e moradias precárias e essa contemplação hoje com 600 casas nos enche de alegria” – enfatiza a secretária.

Cadastro

Flávia Ayres informa ainda que, as famílias que serão contempladas com as unidades habitacionais são escolhidas por associações sociais e cadastradas junto à CEF – Caixa Econômica Federal. “ A Caixa fará as verificações documentais necessárias e publicará o nome dos selecionados que devem estar dentro do perfil exigido pelo empreendimento” – conclui a secretária da Habitação.