Primeiros casos caracterizados por transmissão comunitária são investigados na Capital

Destaque

Desde o mês de março o Ministério da Saúde declarou o reconhecimento de transmissão comunitária do novo coronavírus (Covid-19) em todo o Brasil. Em Palmas, já foram confirmados 30 casos da doença, entre eles foram identificados seis casos de possível transmissão comunitária, que estão sendo investigadas pela equipe epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). 

+ Coronavírus é um plano comunista, afirma Ministro das Relações Exteriores

Para a diretora de vigilância epidemiológica, Marta Malheiros, o momento é de autocuidado. “As pessoas tem que se conscientizar sobre as aglomerações, não elaborar pequenas festas com familiares, evitar ficar muito próximo de outras pessoas na rua, mesmo ao pegar ônibus, também é importante evitar viagens mesmo que interioranas,  essa é uma época de isolamento social”, ressaltou ela.

Se confirmada a transmissão comunitária em Palmas, o cenário epidemiológico também é alterado, onde apresentava apenas transmissão em pessoas que viajaram, agora apresenta também pacientes infectados que não estiveram nos países com registro da doença e transmitem a doença para outras pessoas, que também não viajaram. 

Diante desse quadro, se faz necessário os cuidados com a higienização pessoal que a população deve ter constantemente, uma vez que muitos trabalhadores integram as áreas de prestação de serviços essenciais e necessitam do transporte municipal para se deslocar aos locais de trabalho, bem como idas a supermercados, agências bancárias e casas lotéricas.  
A diretora da vigilância epidemiológica reforça a importância do uso de máscaras, higienização das mão com álcool em gel antes de se expor ao sair de casa, evitar levar as mãos ao rosto, retirar as roupas antes de entrar em casa, e evitar entrar com sapatos dentro de casa que estiveram na rua.