Projeto da UFT oferta acolhimento emocional ante os efeitos negativos do distanciamento

No Câmpus de Miracema da Universidade Federal do Tocantins (UFT), um projeto de extensão, ofertado pelo colegiado de Psicologia, tem buscado criar, estender e fortalecer conexões afetivas diante do distanciamento social provocado pela pandemia da Covid-19. É o “Acolhimento Comunitário em Tempos de Crise”, uma iniciativa composta por três ações: a Roda de Conversa, os Diários de uma Quarentena e as Cartas ao Apoio Estudantil. A acolhida é direcionada não somente aos acadêmicos do Câmpus, mas aberta à participação de toda a comunidade da UFT e também ao público externo – sendo que o projeto ocorre integralmente de forma virtual.

A ação é coordenada pela professora Kênia Soares Maia e vice coordenada pela professora Jamile Luz Morais Monteiro. Conta, ainda, com a colaboração dos professores José Fernando Patino, Carlos Rosa, Carolina Pedreira, Ladislau Nascimento, Ricardo Monteiro e de alunos voluntários do Curso de Psicologia.

Roda de Conversa

A Roda de Conversa ocorre às quartas-feiras, às 15h30, por meio de uma sala virtual na plataforma de vídeo TeamLink. “É um espaço aberto de diálogo, onde propomos, com o grupo que ali se instala, o compartilhamento de experiências e afeto a partir de um tema, associado aos efeitos do isolamento social na pandemia: solidão, tristeza, depressão, ansiedade, pessimismo, entre outros que têm surgido pelo contexto”, explica a professora Jamile. O link para acessar a sala virtual da Roda é disponibilizado, todas as quartas, no horário dos encontros, na página do Instagram da Psicologia UFT

Diários de uma Quarentena

“Nem sempre a pessoa se sente à vontade para comparecer à Roda, de partilhar suas experiências, o que está sentindo neste momento”, diz Jamile. “Por isso, criamos essa alternativa, em que o participante pode nos enviar um texto, uma vez que tem gente que lida melhor com seus sentimentos por meio da escrita”.

No Diários de uma Quarentena, vale escrever e enviar, via e-mail (diariosdeumaquarentena@gmail.com), prosa ou poesia, em que as palavras reflitam os sentimentos do autor neste novo contexto dado pela Covid. O texto, se autorizado pelo autor, também pode ser partilhado com outros integrantes do Projeto.

Cartas ao Apoio Estudantil

Como uma terceira via àqueles que nem querem participar das discussões da Roda, nem têm afinidade com a escrita literária, há as Cartas ao Apoio Estudantil, em que o participante relata seus sentimentos por meio de uma carta enviada ao e-mail do Projeto (cartasaoapoioestudantil@gmail.com). “A partir do relato da carta, traçamos um plano de ação para tentar ajudar quem nos escreve”, esclarece a professora.

Preencher o vazio com afeto comunitário, por meio das palavras 

Jamile destaca que o Projeto, como um todo, não se trata da oferta de atendimento psicológico individual. As três ações foram pensadas num contexto mais amplo - coletivo, comunitário -, em que as pessoas possam encontrar conforto, de suas próprias angústias, na partilha com outras pessoas, que enfrentam desafios e emoções semelhantes.   

“Talvez você até pense que suas palavras possam representar um vazio mas, em meio a todo o caos, elas proporcionam conforto para outras pessoas, e preenchem um espaço que antes era ocupado por angústia e medo, buscando a ressignificação. Assim, o anseio é de que, apesar do isolamento, não nos sintamos solitários, pois podemos construir uma rede de conexões e ligar palavras por meio do afeto”, ressalta ela.