Brasil

Projeto de lei quer prender profissional de saúde que fingir que aplicou vacina

Vários casos de falsa aplicação estão sendo divulgados pela internet

O deputado federal Altineu Côrtes (PL-RJ) apresentou um projeto de lei que visa condenar à prisão o profissional de saúde que fingir que aplicou vacina no paciente.

Propondo uma alteração no Código Penal, o texto pede pena de 1 a 4 anos de reclusão para os profissionais de saúde, do setor público ou privado, que enganarem os pacientes fingindo a injeção.

Vários casos estão sendo acompanhados no Brasil, incluindo em Maceió, onde pacientes denunciam - com provas em vídeo- que o profissional aplicou seringa vazia em idosos que são os primeiros a receberem vacina fora os profissionais de saúde.

O texto pede ainda que a pena seja aumentada de 2 a 8 anos, caso o ato aconteça “durante campanha de vacinação destinada a conter avanços de pandemia”.

Em 28 de janeiro, uma senhora foi tomar a vacina contra a Covid-19 em Maceió, e, ao se posicionar para receber o imunizante, a funcionária responsável pela vacinação inseriu a agulha no braço dela, mas não pressionou o êmbolo da seringa.

Por sorte, um parente filmava o momento e percebeu que o líquido não fora introduzido no corpo da idosa. O caso está sendo investigado e a servidora foi afastada do cargo.