Gospel

Ronaldo Dimas se reúne com líderes evangélicos para tratar da flexibilização de cultos presenciais em Araguaína

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas esteve reunido na noite terça-feira (02) com líderes evangélicos das mais diversas denominações do município para tratar sobre a flexibilização de cultos religiosos presenciais, tendo em vista que, o Decreto publicado na última semana pela gestão municipal não contempla a realização de cultos presenciais, somente online, com a possibilidade de ser realizado no templo o aconselhamento pastoral, limitado no máximo a 10 pessoas, incluído o pastor e um auxiliar.

Durante a reunião, Dimas apresentou dados por meio de gráficos que tratam da Covid-19 no município e mostrou-se bastante preocupado com os poucos leitos disponíveis na rede pública municipal para atender as demandas que possam surgir ao longo dos dias/meses, com a possível flexibilização de segmentos no município, incluindo as igrejas.

Na ocasião, líderes como o pastor Flávio Braga, presidente do Conselho de Pastores pediu que a gestão flexibilize a reabertura dos cultos presenciais: “é um anseio dos pastores prefeito”, disse Braga.

O jornalista Ricardo JM que participou da reunião a convite do prefeito Ronaldo Dimas, destacou o empenho da gestão em combater a doença Covid-19, no entanto, reforçou a necessidade de ser analisado a flexibilização dos cultos presenciais:

 “Apresentamos informação do Governo gaúcho, onde lá foi feita a flexibilização dos cultos presenciais, sendo permitido cultos presenciais com capacidade de 25% dos assentos dos templos naquele Estado. Sugerimos que se possível, fosse implantando o mesmo sistema em nosso município”, disse Ricardo JM.

Prefeito fala

Ao final da reunião, o prefeito Ronaldo Dimas afirmou que nesta quarta-feira ou quinta-feira deverá ser publicado Decreto tratando da flexibilização dos cultos em Araguaína, que terá validade a partir da próxima segunda-feira (08).

Pastores querem reabrir igrejas

Nos últimos dias, um movimento de lideranças evangélicas da cidade tem se empenhado para que a gestão municipal reveja decretos que tratam dos cultos presenciais. Para o presidente da Assembleia de Deus da Missão, Gildex Alves, a igreja não pode ficar de portas fechadas: “Somos um local de abrigo, refúgio, refrigério para muitas famílias. Pedimos que o prefeito Ronaldo reveja a situação dos templos em nossa cidade”.

Para o pastor Euvaldo Nascimento, líder da Igreja Assembleia de Deus Cristã das Nações, a reunião foi positiva e mostra o empenho do prefeito com o segmento cristão:

" Fomos levar ao prefeito a necessidade de se flexibilizar a abertura das igrejas, tomando todas os cuidados necessários para preservamos a saúde de nosso povo", disse Euvaldo Nascimento.

Na Band, jornalista cristão defende reabertura gradual de cultos presenciais em Araguaína

Na manhã desta terça-feira (02) o Programa Comunidade da Rede Bandeirantes recebeu o jornalista cristão Ricardo Costa, conhecido popularmente como Ricardo JM, para debater a questão da flexibilização de cultos religiosos em Araguaína.

Decreto Municipal atualmente em vigor, publicado na última semana, não permite que as igrejas realizem cultos presencias, somente on line. O que está permitido é aconselhamento no templo, no máximo com 10 pessoas.

Durante a entrevista com o âncora do programa, Divino Bethânia Júnior, Ricardo JM falou da importância das instituições religiosas no contexto social, afirmando que a igreja é um serviço essencial pelo apoio religioso que oferece num momento tão delicado, como é o vivido pela sociedade atualmente.


Ricardo JM, que também possui formação em gestão pública, defendeu na ocasião que este não é o momento de proibir a atuação das entidades religiosas: “ É durante as crises que as pessoas mais precisam de aconselhamento, de uma oração, de ouvir a palavra de Deus, e as igrejas realizam de fato um papel social muito forte, onde muitas das vezes o Estado não consegue chegar”, disse Ricardo JM.


O jornalista também fez menção ao Decreto de Bolsonaro que considera as atividades religiosas como serviços essenciais, e ressaltou que o Governo gaúcho editou decreto em março, permitindo que lá fosse permitido a realização de cultos presenciais com capacidade de 25% dos assentos.

“Pedimos ao prefeito Ronaldo Dimas que veja a possibilidade de liberar até 30% da capacidade de cada templo, a realização de culto presencial. Nós somos um povo ordeiro que procura somente praticar o bem, levar a palavra de Deus”.

Saiba + Cínthia Ribeiro rebate críticas e diz que é ‘vírus quem está fechando igrejas, não gestores’

Saiba + Trump determina reabertura de igrejas nos EUA: ‘essenciais’